Capa por João Morais

Tonyyymon aposta as fichas na estreia do seu primeiro EP, intitulado “CACOS”, produzido por Eddu Chaves

Cria da Favela do Jacó, em Itaquera, Zona Leste de São Paulo, Leonardo Antônio Ferreira Morais, nome do multiartista Tonyyymon (21), que tem se mostrado diferenciado no que faz dentro da cena atual. O artista está prestes a lançar seu primeiro EP, intitulado “CACOS”, composto por cinco músicas que dialogam entre si. Produzido em parceria com Eddu Chaves, traz a participação de Bia D’Oxum e foi lançado no dia 28 de Maio de 2021.

O projeto é um portal sonoro que une em uma, todas as visões de Tonyyy no mundo, mantendo a diversidade interna e apresentando novos estilos, vem para cortar, expor, abrir caminhos e mentes. São gritos revolucionários e expositivos. Todas as faixas serão lançadas com clipe. Dois singles já estão disponíveis, “Corre das Ruas” e “Grime de Vila”, ambos no YouTube, dirigidos por Demobuda. Além dos videoclipes, será disponibilizado um curta-metragem sobre o EP.

CACOS

A ideia surgiu quando Tonyyymon esteve no estúdio de Eddu Chaves, em outubro de 2019. A parceria aconteceu graças à ponte feita por Leonardo Lopes. Tonyyy escrevia as músicas por hobbie e após mostrar para Léo, que compartilhou com o Eddu, foi dado início a uma parceria que transformaria a carreira de ambos.

O multiartista pontua a sua perspectiva favelada, interna e externa. “CACOS” consegue desconstruir o funk, rasgando o gênero musical, adicionando a essência do artista moldada por suas influências que vão desde os clássicos até o pop. A resposta é algo inovador, que vêm sendo construído há um ano, sempre traçando a dualidade em que é condicionado: o negativo e o positivo.

CACOS” é um senso de liberdade. Quando algo se quebra, o que sobra são os cacos. Esse é um reflexo do que é vivenciado por um artista da favela. O EP é um reflexo pessoal que transborda em coletivo e tem como objetivo celebrar a vida e fúria favelada, dar protagonismo às ideias e estilos, que muitas vezes são ocultados ou silenciados pela sociedade.

A sonoridade é totalmente diferente e original, é um trabalho musical favelado e apresenta uma nova forma de ouvir e fazer música, se distanciando do “genérico” que impera no cenário atual.

Sempre busco ampliar escolhas e possibilidades para minhas visões artísticas, fazendo com que todo trabalho exercido se distancie do ‘muito do mesmo’, canalizando originalidade e identificação da parte do público”. 

Em seus projetos, a arte, independente da linguagem, está vinculada às vivências internas (reflexões e informações que absorvemos) e externas (experiências). Dessa forma, está ligada com o ser do artista, sua identidade e orientações. Uma das coisas que marcou Tonyyy, foi o processo de realização e execução do trabalho.

Toda a coletividade artística das pessoas envolvidas diretamente e indiretamente, todas as crianças, o aprendizado, o autoconhecimento. Isso me marcou muito, esse senso de produzir, fazer e as consequências disso”,

conta o artista.

O único feat no disco é com a cantora Bia D’Oxum, em “Guerra e Paz”. Para ela, a música se tornou um verdadeiro hino. “Quando ouvi o Tonyyymon pela primeira vez, sua arte me atravessou. O que ele faz é visceral, rasga e depois se faz cicatriz em quem se permite ouvir. Para mim, é uma grande honra participar de CACOS e poder expressar nossa fúria, nossa gana, nossa coragem e nossa vivência ao lado de um artista tão grandioso. Viva a nós!

Eddu Chaves tem acompanhado os trabalhos de Tonyyymon desde 2019: “Trabalhar junto com ele tem sido um processo de olhar para o lugar de onde vim e ao redor. Pegar a nossa essência e mesclar junto com novas experiências e estilos que nos conectam. Tem sido também um processo de mostrar que, com menos, também é possível fazer música, com as referências e o que nos é dado, desde o instrumental até a gravação”, explica o produtor. 

Recentemente, se apresentaram na primeira edição do Festival Favela em Casa, onde Tonyyymoon estreou no palco, com presença marcante e dividiu a line com grandes artistas, como Drik Barbosa, Tasha e Tracie, Okereke, entre outros.

A gente tem a sorte de poder falar e disseminar o trabalho lindo que resultou toda essa junção de pessoas talentosas, confira “CACOS”: