Depois de muita expectativa, Yasiin Bey balançou o Cine Joia no último domingo

É amigos, demorou mas rolou, não só rolou como foi histórico. Yasiin Bey lotou o Cine Joia domingo, dia 12, e mostrou como fazer o boom bap reinar sem dó nem piedade. A saga pra esse show acontecer não foi pequena, é verdade.  O evento ia rolar inicialmente lá no dia 2 de dezembro em São Paulo e no dia 3 no Rio, com um problema de documentação ele acabou não conseguindo embarcar para o Brasil. Com isso foi lançada uma nova data, 10 de fevereiro pros paulistas e 11 pros cariocas. Eis que na noite do dia 9 o Cine Joia posta uma nota, bem ressentida por sinal, afirmando que o show estava sendo cancelado, que as pessoas seriam ressarcidas e que tinha sido um erro confiar novamente em um grande ídolo.

Pronto, geral surtou né? Xingou muito no twitter, cobrou o Cine Joia e no fim tudo não passava de uma pegadinha do malandro, ou melhor, de um problema de comunicação entre o artista e a casa. De fato na quinta o Mos Def ainda não tinha embarcado, mas rolou uma emoção de cancelar previamente. Na sexta o mal entendido já estava sendo resolvido e o show tinha uma nova data de novo, dessa vez no domingo, dia 12. Tava todo mundo meio descrente mas aconteceu, e foi sensacional.

A casa abriu as 17, o show tava programado pra começar as 20, mas sempre rola aquele atrasinho padrão, quando era quase nove horas o fumódromo foi começando a ficar vazio demais, aí já logo pensei: é agora! E valeu a espera viu? Ele entrou com uma chuva de balão branco, uma hora e meia de show e de pura performance, toda hora eu pensava: “vixe nego esse moço é muito bem preparado pra fazer show!”. Além de todo aquele repertório musical reproduzido com qualidade, boa dicção, boa musicalidade ele ficou o tempo todo dançando, atuando. É nessas horas que você percebe as qualidades de um MC que também foi ator, o Yasiin além de toda sua história como músico já participou de vários filmes, vários mesmo, e isso fica bem claro quando ele ta em cima do palco.

Fotografo: Luis Fernando Andrade

Além dos balões que ficaram fazendo tapete pro Mos Def, ele ainda foi jogando algumas pétalas de rosas vermelhas ao longo do show. Todo esse cenário com a projeção que fica rolando atrás do palco formaram uma atmosfera foda pra receber o MC do Blooklyn e honrar sua história, que não é pequena. Começou no Urban Thermo Dynamics, fez parte do Black Star, fez várias participações e chegou à carreira solo. Hoje, produzido pelo Ferrari Sheppard fez vários sons e o seu último albúm, Dec 99th, que foi o foco principal dele durante o show. Mas o ápice mesmo, foi atingido quando ele cantou “Ms Fat Booty“, naquela versão maravilhosa com a Aretha Franklin, aí era todo mundo cantando, dançando e ficando em choque com aquele homem.

Fotografo: Luis Fernando Andrade

Depois de tudo isso na saída, sem querer, ainda trombei a Brisa Flow e a Bárbara Sweet na porta, as minas pediram pra eu tirar uma foto já aproveitei pra mandar aquela perguntinha de como foi o show né? Pras minas não foi diferente do que foi pra mim, aulas de rap, grande performance, um rolê da hora. A Brisa ainda brincou: “Só faltou ele tirar a blusa né? Puta calor!”. Pensa num cara que vai deixar saudade amigos.