Yasiin Bey (Mos Def) é autorizado a sair da África do Sul, mas não poderá voltar

Yasiin Bey será finalmente autorizado a deixar a África do Sul depois de passar a maior parte de 2016 sob fiança lá.

Em janeiro, o mc do Brooklyn foi acusado de usar um passaporte e documento de viagem falsos enquanto tentava deixar o país. Depois de muito atraso no caso, Mos Def pediu desculpas ao governo da África do Sul. Bey será autorizado a sair do país, entretanto, ele será declarado uma pessoa indesejável e impedido de retornar à África do Sul. O departamento de assuntos internos do país disse: “Estamos satisfeitos com o pedido de desculpas do Sr. Yasiin Bey e vamos retirar as acusações contra ele.”

Mos Def afirmou possuir um “passaporte mundial” emitido pela organização sem fins lucrativos conhecida como World Service Authority (Autoridade de Serviço Mundial). Embora a WSA não garanta que um país  —especialmente nações como Canadá, França, Alemanha, Suíça, Grã-Bretanha e Estados Unidos— aceite um passaporte mundial, a WSA também emite documentos de “cidadão do mundo” como certidões de nascimento, identidade e certificados de casamento. Os candidatos devem assinar uma declaração dizendo que entendem as limitações do passaporte mundial e que o fundador da WSA, Garry Davis, foi preso várias vezes por usar o passaporte que vende. Yasiin Bey vivia na Cidade do Cabo desde 2013, mas ele não será autorizado a entrar novamente no país.