Numa mistura de Rap e Funk, grupo paulistano Sempre lança a música ‘Flagra’

Com talentos originados da zona norte e leste de São Paulo, o grupo Sempre é formado por Pé beat, Dcazz, Dj Faul e Sadiki. Os meninos trazem em suas músicas influências fortes que vão do Rap, R&B e funk. Com início em 2014, a união  do grupo surgiu com um propósito: eternizar momentos únicos através da música, eternizar suas referências pessoais e vivências. Na última quarta-feira (10), o grupo lançou o single “Flagra“, que chegou numa pegada cheia de estilo e abrindo definitivamente os caminhos para começar o ano de 2017 daquele jeito.

Flagra” veio com uma letra trabalhada em enaltecer o charme de um público todo especial, o delas, claro. Os meninos rimaram sobre o charme, o cotidiano feminino e o efeito que a beleza das mulheres causam. Uma música com muito swing, feita para tocar nas pistas e fazer geral dançar.

https://www.youtube.com/watch?v=4zFG_H7l8uA

O grupo pretende lançar um CD no segundo semestre desse ano. Então, pra conhecer um pouco mais do Sempre, troquei uma ideia com os meninos sobre projetos futuros, parcerias, inspirações — confira:

Como foi a ideia de criar o grupo?

— A história do Sempre começa na passarela do Metrô Itaquera em uma edição da Batalha da Leste, em uma troca de ideia entre Dcazz e o Pé Beat, sobre montar uma banda de rap. Isso fez com que fosse natural produzir juntos, conhecer pessoas, entre elas DJ Faul que até então já tinha parcerias com o “Pé” no EP “Apresentação” do Interpretação, grupo que Faul já fez parte. Sadiki entrou no grupo um pouco mais tarde, mas está junto desde o primeiro show. Ficou cada vez mais próximo dos 3 por trabalhar junto no centro de SP, por ter as mesmas referências [Rap, R&B, Funk, Gospel, Bossa Nova e Samba] e estar na disposição.

Porque o nome “Sempre”? De onde surgiu?

Pé Beat: Esse nome saiu da boca do DCazz, em um baile no Morfeus Club (centro de SP) pouco depois das primeiras canções escritas, quando decidimos que seria um grupo de fato. O nome Sempre tem a ver com infinito, com mudança constante, com lembrar das raízes, o passado, o futuro e sua ligação. Também tem a ver com essa ideia de que somos 4 mundos nesse universo chamado SEMPRE, saca?!

Me conta um pouco sobre os trabalhos de vocês.

Faul: Sobre os trabalhos mais antigos, O Sempre já tinha lançado  3 músicas, “Reinado” [com participação do Nego E], “O Sol Abaixou” e “PIZZA”, que teve videoclipe lançado no fim de 2016 e está disponível em nosso canal do YouTube. Todas essas canções foram trabalhadas pela Artefato Produções que nos apoiou desde o começo. “Reinado” é uma canção de prosperidade, lançada em plena virada de ano para abrir os caminhos. “O Sol Abaixou” é uma música romântica, dedicada a aquela pessoa que rouba a brisa no melhor dos sentidos. E “Pizza” é o que completa cada sessão de estúdio ou encontro com os amigos, nada mais justo que uma canção para eternizar esses momentos.

“Flagra” tem uma batida gostosa, leva uma mistura de rap com funk. Como foi o processo de criação da música?

— Sadiki: Há tempos o Pé Beat tinha a ideia de fazer essa mistura, escutava Sango por exemplo, chapava nos sons e sabia do seu potencial pra fazer algo tão bom quanto (e o melhor, sendo brasileiro), onde moramos muito se escuta dos dois estilos, tanto rap quanto funk… Pé resolveu experimentar, buscar informações, entender as linguagens. De início pensei em dar uma melodia antes de decidir o que escrever. A letra veio depois como insights. Então comecei a escrever pensando naquela primeira impressão de quando você chega no baile e bate o olho na garota mais chavosa, aquela que rouba a cena, ela te olha também e rola aquele leve flerte (risos). Com essa base em mente finalizei a letra e mostrei para o Dcazz na garagem de casa, na hora ele chapou na letra e aí começamos a escrever o refrão.

Pé Beat: Misturei o que gostava. Me preocupei com o instrumental ter swing e bater nos carros, nas festas e nos falantes do celulares. Quanto à letra, eu escrevi alguns versos um dia no estúdio da ATF… mas não chapei de imediato, então reescrevi e batemos martelo juntos pouco antes de gravar. E o protagonismo é delas, hoje, em todos os lugares, por isso enfatizar, evidenciar algumas características que as mulheres tem e merecem muito respeito de nós homens… e sabemos que nem sempre é assim.

Dcazz: O Pé mostrou o instrumental na Vila Medeiros na casa do Sadiki, chapamos na hora, alguns dias depois, o Sadiki me mostrou a parte dele, eu curti e flagrei a ideia.O refrão ficou pronto em pouco tempo, foi escrito na casa do Sadiki, e aqui no Jardim das Canções na ZN. Alguns dias depois, marcamos uma sessão na Artefato e lá escrevi as rimas pensando nas minas que deixam os caras da quebrada tumultuados. ”Mulheres vocês são lindas, continuem se arrumando, e roubando a briza”. A parte musical desta vez ficou toda com a gente, encostamos algumas vezes na casa do Robson Heloyn pra aprender e conferir sobre a mix, a arte do single foi feita pelo zika Lucas Rodrigues.

O Rap e o Funk tem uma ligação muito forte, os estilos sempre dialogaram, seja na ideologia ou na origem. Como foi a ideia dessa união de estilos?

— Somos reflexo desse diálogo! O Rap e o Funk tem origem na quebrada e cada um é muito forte no seu individual, se unidos tem ainda mais força. A ideia de unir o rap e o funk não é de hoje, Pé beat já vinha estudando muito sobre essa união, entregou diversos instrumentais e a flagra é só o primeiro resultado dessa experiência.

Cá pra nós, esse single é bem chiclete né? Qual foi a ideia de vocês?

— A ideia era contar sobre as mulheres que se sentem sensuais e desejadas sem a expor ou desrespeitar. O som se passa na quebrada, descreve mulheres livres, que se arrumam como querem, que tem domínio da sua feminilidade, sensualidade e que encantam por onde passam.

Sobre parcerias, projetos, novidades, o que a gente pode esperar do grupo para esse ano?

— O Sempre prepara um trabalho chamado “VIVA” para o segundo semestre de 2017, com músicas ligadas ao cotidiano e sintetiza o que é viver para nós. Além dos trabalhos no “VIVA”, o Sempre prepara singles do Sadiki e Dcazz; mixtapes do DJ Faul; beats do Pé Beat; e trabalha também no EP do time Artefato. Dj Faul acompanha Drik Barbosa nos shows e é residente na Festa Vibe, projeto que tem envolvido ele e a produtora do Sempre, a Bia. Pé Beat acompanha Rincon Sapiência nos shows com Banda (Bateria), DCazz acompanha Timm Arif e assinou a direção bocal do próximo trabalho do Rimas e Melodias, Sadiki tá construindo seu primeiro trabalho solo ainda sem nome, porém vem preparando alguns singles pra soltar no decorrer do ano. Podemos dizer que estamos em constante construção.

Fiquem a vontade pra dar um alô ou acrescentar algo que seja importante mostrar no trabalho de vocês, e não rolou durante a conversa.

 — Agradecimentos à Becca e RND por dar essa oportunidade de falar um pouco sobre o nosso trabalho, a Beatriz Natália nossa produtora executiva, Carol Zi social media e assessora de imprensa, Júlio Bueno nosso fotógrafo, que são parte de nós por fazer as paradas possíveis, ao designer Lucas Rodrigues pelo trabalho no single, Artefato Produções pelo apoio, a Festa Vibe, as famílias de cada um de nós, por entender nossa ausência e o foco nos trabalhos e a cada pessoa que escuta, toca, compartilha e se identifica com nossa música. Gratidão. Somos o SEMPRE!