Rapper americano Self Provoked lança clipe novo, participa do Rap Box e dá entrevista para o RND

Diretamente de Sun Valley, Los Angeles, o rapper Self Provoked lançou no último domingo, 11, o clipe da música “Handcuffs”, com participação de Yuri e produção de Kenny Segal. A track faz parte do seu novo álbum “Triangles“.

A convite da Insanis  — marca de roupas e acessórios —, Self participou da festa NOISY ao lado de Rodrigo Ogi no mês de outubro em São Paulo. Durante a sua estadia na capital paulista e em parceria com a marca, iniciou a gravação do clipe.

A direção ficou por conta de Rodrigo Ferreira, a direção de fotografia por Danilo Pontes e contaram com a produção da KILO INC, co-produção da Wudd e realização da Insanis.

Hoje (12) saiu também o vídeo da sua participação no Rap Box com o som “Verso Livre” e produção do Leo Casa1. Além da tradicional entrevista do “Trocando ideia” com o idealizador do Rap Box.

Abaixo, você pode conferir o papo que tivemos com o Self Provoked sobre a sua carreira, o novo álbum e também o que ele acha da cena aqui no Brasil.

Você fez um show recentemente junto com o rapper Rodrigo Ogi em um evento organizado pela Insanis. Queria saber como rolou essa oportunidade e o que você sentiu do público brasileiro?

— O show foi incrível. Adorei a energia, o que foi mais louco para mim é que apesar de estar em outro país havia fãs na primeira fila cantando comigo. Estou ansioso para voltar e cantar no Brasil. Tudo começou quando o Felipe da Insanis enviou um e-mail me convidando para o evento, muitas pessoas entram em contato para me levar para fora, então fiquei muito feliz quando deu tudo certo. Realmente foi uma experiência foda.

Você já tem uma conexão bacana com o rap no Brasil, participou recentemente da música “Vagabundo é foda” com os caras do Oriente e com Pedro Qualy, do Haikass. Queria saber o que você tem achado da cena do rap aqui no Brasil e quem são os MCs e o grupos que você tem acompanhando e até faria uma parceria?

— Sim, conheço e tenho contato com o Haikaiss há anos. Eles são muito talentosos, assim como o Oriente. Para ser honesto eu não conheço muitos outros artistas brasileiros, mas pelo que eu ouço quando tocam, eu adoro o som. O underground está muito vivo lá fora. Eu gosto muito dos sons de novos artistas, então mande o seu para para mim no Twitter! Haha

Triangles” é o seu último álbum lançado, agora em outubro, e você gravou o clipe de uma das tracks em São Paulo com os caras da KILO INC. Como surgiu a ideia de produzir aqui no Brasil e como foi essa parceria?

— Eu só queria lançar fora do país, lançar especialmente no Brasil, porque eu tenho um monte de fãs lá fora. Eu queria mostrar o máximo de SP possível, a cidade é muito ativa e bonita. Os filmers foram muito fodas e naturais e foi um prazer trabalhar com eles, fiquei muito feliz com o resultado do vídeo. Não consigo agardecer o suficiente.

Com boas produções desde o seu primeiro lançamento em 2010 e agora, com “Triangles“, eu queria saber o que você mais destaca neste novo trabalho? Principalmente em relação aos seus outros álbuns. O que mais te inspirou na produção de “Triangles”?

— Meus tópicos principalmente. Eu sou muito bipolar neste novo álbum, devido as coisas que estavam acontecendo comigo. Uma música é feliz, uma louca, outra triste. Haha, mas captura bem o ano em que o projeto estava em desenvolvimento. O processo criativo foi bastante simples. Ir ao estúdio, ouvir a batida, fumar uma erva e escrever.

O que podemos esperar para 2017? Quais são o seus planos?

— Neste momento tenho turnês planejadas para os EUA, um EP que vou lançar em breve, com um som diferente, mais moderno. Então estou animado por isso. Além disso estou trabalhando para melhorar o On A High Note como uma marca e um coletivo de rappers. Just keep it pushing with no sign of stopping.