Rincon Sapiência eleva o nível das rimas do Rap nacional no verso livre ‘Ponta de Lança’

2016 não acaba! Quanto mais desgraças sem iguais vem acontecendo no ano, mais Raps de qualidade única vem surgindo no Brasil. Mais um que chegou de lançamento aos 45 minutos do segundo tempo no ano mais fértil da década foi o embaçadíssimo Rincon Sapiência.

[su_spoiler title=”VEJA TAMBÉM” open=”yes” style=”simple” icon=”plus-circle”]

A coisa tá preta: Rincon Sapiência exalta a negritude e ressignifica expressão racista em novo clipe

[/su_spoiler]

Em “Ponta de Lança (Verso Livre)”, Rincon lança uma provocação interessante aos admiradores do Rap nacional. Inspirado pela cena atual no país, onde os fãs parecem amar mais os rappers que as rimas, ele busca resgatar a cultura do MC, na qual deve se destacar a magia das palavras, o encaixe das rimas e as histórias contadas através das letras.

Em várias barras soltas sem refrão, Rincon se diverte com as palavras e nas cenas do videoclipe dirigido por Jonah Emilião, idealizador do estúdio Rasputines art, de Curitiba. Filmado na Cohab 1, Zona Leste de São Paulo, lugar de origem do artista, o clipe foi gravado com uma câmera Sony vx2000, trazendo naturalmente a textura dos vídeos antigos, ou seja, da época em que o MC ocupava lugar de destaque no Rap brasileiro.

Trecho da música
A noite é preta e maravilhosa, Lupita Nyong’o
To perto do fogo que nem o coro de tambor numa roda de jongo
Nesse sufoco, tô dando soco, que nem Lango-lango
Se a vida é um filme, meu Deus é que nem Tarantino, eu tô tipo Django
Amores e confusões, curas e contusões
Fazendo minha mala, tô pique cigano, tô sempre mudando de corações
Luz e decorações, sorriso amarelo nas ilusões
Os preto é chave, abram os portões!