Nunig e Nectar Gang no clipe ‘Noixx’ é o bonde do KTT ZOO reunido

Noixx“, o novo clipe do Nunig, chegou neste inicio de tarde de segunda-feira (10). O lançamento inicia a divulgação do seu álbum de estréia “Bonde do Jaguar“, o clipe que conta com a produção da Teresa Filmes e direção de Gabriel Fontes.

O clipe foi gravado em um prédio abandonado no centro do Rio de Janeiro. e conta com a participação do coletivo Nectar Gang e grande elenco. A música “Noixx“, com uma produção fina do WC Beats, retrata a vivência única do Nunig e do Nectar Gang, de forma a ressaltar a ligação que ambos os grupos tem com a região onde residem, o bairro do Catete ( informalmente conhecido como KTT ZOO).

Essa ligação é ressaltada e exaltada ao evidenciar suas respectivas galeras em um forte refrão que demonstra o potencial e a unidade que a região do KGL [catete, gloria e lapa] possui na cena do Rap. Assista o vídeo no topo.

Foto: Jonas Vaz / Tales Duarte
Foto: Jonas Vaz / Tales Duarte
Foto: Jonas Vaz / Tales Duarte
Foto: Jonas Vaz / Tales Duarte
Foto: Jonas Vaz / Tales Duarte
Foto: Jonas Vaz / Tales Duarte

[su_spoiler title=”FICHA TÉCNICA” open=”yes” style=”simple” icon=”plus-circle”]

Produtora: Teresa Filmes
Direção : Gabriel Fontes,
Assistente de Direção: Lívio Leite
Roteiro: Gabriel Fontes / Leonardo Campos
Produção: Fernando Schubach
Assistente de Produção: Gabriel Gimenez
Direção de arte: Diogo Viana
Still: Jonas Vaz
Assistente de Fotografia: Miguel Moraes
Edição/Colorista: Bernardo Dávila
Making off: Tales Duarte
Maquiagem: Carla Biriba, Fox Goulart, Piu [Blissme]
Produção de moda: Eduardo Costa [Brecho Replay]
Assistente de produção de moda: Ricardo Boni
Elétrica: Barthô
Segurança: Luis Claudio e Jonathan

[/su_spoiler]

Álbum “Bonde do Jaguar”

O duo Nunig é formado por ICE.VINI e Leo Toretto. Com incursões pelo funk carioca e influências do trap, “Bonde do Jaguar” é um disco que aborda de modo contemporâneo o racismo, o relacionamento familiar e infância dirigindo sua potência ao empoderamento preto e a valorização da ancestralidade.

Com canções que traçam narrativas cotidianas em torno de temas que valorizam o lugar de origem. Além de técnicas da métrica e flow aprimoradas, as sonoridades fazem alusões às raízes da música preta norte-americana como o jazz e o bass.

O álbum conta com a pós-produção de Sérgio Santos, [Toca do Bandido /Pancadão], que ficou conhecido no meio musical pelo trabalho com nomes consagrados como Fernanda Abreu, O Rappa, Sinara, MC Tarapi e outros.

O disco chega ainda em 2016.