Mano Brown é capa da revista Trip de dezembro

Não paramos de falar que o mês de dezembro do ano de 2016 com certeza irá entrar pra história como um dos períodos mais importantes para o rap nacional. Artista lançando conteúdos em ritmo frenético, e não são apenas alguns artistas, estamos falando da maioria dos artistas de peso ou até então desconhecido do grande público.

Neste mês de dezembro Mano Brown foi capa da revista Trip, confiram a capa da revista com Mano Brown em destaque:

“Uma vez vi uma entrevista com o Ice T falando que quando ele era novo parecia um cachorro louco, saía mordendo todo mundo. Eu era assim também: mordia quem eu achasse que tava no meu caminho. Hoje a gente tem que ser estrategista, o mundo exige mais inteligência e reflexão”, dispara Mano Brown na entrevista a revista Trip.

“É música negra pra ouvidos, cérebros e corações. É heart to heart, um som pra ouvir a dois”, explica o mais importante rapper do Brasil. Mano Brown chega ao estúdio no bairro da Vila Olímpia, em São Paulo, com duas garrafas de champanhe na mão. Serve as taças, distribui para a equipe e brinda o novo momento. É dia de fotografar para a Trip e também para o primeiro disco solo, Boogie Naipe, que acaba de lançar após quatro anos de trabalho. As 22 faixas contam com participações de nomes como Carlos Dafé e Leon Ware, ex-parceiro de Marvin Gaye, Quincy Jones e Michael Jackson. “Leon é o orixá vivo da música negra, fez o tipo de som que eu mais ouvi na vida. É uma honra trabalhar com ele”, conta Brown.

Aos 46 anos, Pedro Paulo Soares Pereira exibe o corpo sarado esculpido especialmente para a ocasião. “Fui obrigado a fazer barra e flexão na academia por causa do retrato do disco. Precisava dar uma levantada porque eu tava meio fraco, meio caído”, explica o líder do Racionais MCs, que não esconde a ansiedade em saber como será a recepção a seu trabalho solo, com pegada romântica. “A gente vive da opinião do público. Quem fala que não tá mentindo. Mas a ansiedade é boa, o dia em que eu parar de sentir isso, não sirvo mais pro ramo.”