Taillor Amaral - @Skrrtey

Jovem Esco volta ao game com “Astro Periferico”

Falar sobre auto aceitação, olhar para si e para as próprias fragilidades, ainda é um tabu. As pessoas tentam esconder quem realmente são por medo de julgamento ou falhas. Indo na contramão e mostrando um pouco mais de si, Jovem Esco lançou “Astro Periférico” nas plataformas de streaming na última quarta-feira (26). A música tem produção do próprio artista, com mixagem e masterização de Edilson Dourado.

Produzida durante a pandemia, em meio ao isolamento social, o artista lapidou o instrumental e encaminhou para a produtora Golden, na sequência, Edilson adicionou teclado e cordas orgânicas para manter a estrutura original. A faixa traz a importância da busca de um jovem preto pelo autoconhecimento e comemora as oportunidades de ser alguém maior e melhor. Como homem preto, Esco entende que seu esforço sempre será duas ou três vezes mais para obter reconhecimento nos trabalhos que desenvolve.

Para ele, “Astro Periférico” é sobre enxergar beleza e aprendizado nas quedas, é um trabalho que trata da dualidade do ser, da grandeza e da insignificância.

Esse trabalho é sobre o que é fútil e aquilo que importa para o individual e coletivo, também trata do dilema do questionar-se constante. Como um cometa que segue pro seu fim, mas ainda é um cometa. É aceitar-se singelo, perecível. Questiona também o ego do artista que projeta uma imagem de grandeza quando se é apenas mais um humano. AS é sobre isso, somos todos poeira das estrelas”.

Jovem Esco

O intuito do artista é sair da “bolha” do rap, mainstream e underground, atingir novos fãs e fazer com que os mesmos entendam um pouco mais sobre o seu trabalho. Seu diferencial é a experimentação com base na sua trajetória. Este projeto conta com mais duas músicas, “Céu em Chamas” e “Sem Chão”, que serão lançadas em 2022, e traduz a beleza e a poesia em reconhecer-se “pequeno, um ser pequeno com capacidade para a grandeza”.