Muito trap e versatilidade na Beat Tape ‘Hércules’, do beatmaker Gabriel Rotta

Quando a gente gosta muito de uma coisa, como gostamos do rap, é  importante entender como essa coisa funciona, como ela se constrói, qual sua história. E quando paramos pra fazer isso com o rap, não demora pra entender a importância dos beats e de seus produtores, e entender que, talvez, eles não sejam reconhecidos como deveriam. Quando tudo começou, os mc’s eram ilustrativos para o Dj que embrasava aquelas bases, isso construiu o movimento. Hoje nós não conseguimos nem imaginar o trabalho do mc sem a produção musical, não existiria rap sem os beats. E é por isso que nós do RND achamos importante dar visibilidade pros beatmakers e suas produções.

Eu falei tudo isso por que, hoje, diferentemente do que eu venho fazendo até agora no RND, eu não vou fazer o lançamento de um clipe, ou de um CD, mas de uma Beat Tape e, além de me deixar feliz por ser um trabalho que me agrada, de um profissional que me agrada, eu vejo como necessário. Estou falando da primeira parte da Beat Tape “Hércules“, disponível inicialmente com exclusividade aqui no RND, do beatmaker Gabriel Rotta, 19 anos, nascido em Ribeirão Preto (SP) e hoje de Mococa.

A primeira parte desse trampo conta com cinco beats, dos quais quatro deles contam com a colaboração de outros beatmakers: o Robson do Trap Sex Kush, o Soffiatti, o Pit, e o LiipBeats. Perguntei pro Rotta de onde vinham essas conexões e ele explicou:

— O Liip e o Robson são produtores com quem tenho contato há muito tempo, inclusive Robson foi o primeiro produtor com maior destaque na cena a fazer uma colaboração comigo há alguns anos atrás. Sempre quis trabalhar com o Soffiatti, ele é um beatmaker foda! Entrei em contato com ele e de cara fechamos esse beat monstro. O Pit,  conheci pelo Marcel do Essência, grupo formado por ele e o Radha. Tava enrolando há um tempo a colaboração com ele mas foi o momento certo para isso.

Todos os beats vem numa pegada mais do trap, pois, pro Rotta, é uma vertente bem versátil e descontraída, e isso o agrada. Além disso, tem muita coisa loca por trás dessa Beat Tape, o nome “Hércules” faz uma analogia aos 12 trabalhos que o personagem teve que passar na mitologia — e os 5 beats da primeira parte com os 7 da segunda, que sai em julho, completam exatamente o número das aprovações. Além disso, ainda tem um significado particular: 

— O nome Hércules veio em analogia à mitologia. Hércules teve que passar por 12 aprovações para recuperar a sua honra; no caso esses 12 trabalhos são a minha trajetória para alcançar os meus objetivos. Essa beat tape representa um pouco da minha pessoa em cada beat, um pouco da minha alma”.

E tem uma coisa importante: o trabalho vai ser disponibilizado de forma gratuita pros  mc’s, no intuito de realmente fortalecer o trabalho dos artistas— sabemos muito bem que várias vezes é osso ter aquela grana disponível pra comprar uma base, ainda que o trabalho vale o dinheiro, é importante ressaltar. E o Rotta sabe, começou a fazer beat por isso, ele queria ser mc, mas comprar base na época era extremamente difícil, assim acabou percebendo rápido que o negócio dele era a produção e desde os 12 se dedica a ela.

Se Liga na Beat Tape:

https://www.youtube.com/watch?v=goYEPsG8_2s&list=UUixbV9hkNKkyUjt-pH5aTjQ

A Beat Tape está disponível no Youtube e em breve estará no Deezer, Spotify e iTunes. E os trampos do beatmaker não param por aí, em breve, produções dele estarão na rua  em trampos de Dalua, Radha, Svit, Matoco, Antelo, Raphael da Paz, Snow, Sants, Cilada Gang, Decoy, Lado Oculto e Sapiência Caboclo. Além disso, ele também é fundador do projeto de trap PurpleEra, junto com o CapellaBeats.