Conheça a promessa de PE, Lucas Sang (no bang) e confira seu lançamento sinistro, em parceria com a Vinew Records

Lucas Sang, como é reconhecido artisticamente, é da zona norte do Recife, e já tem destaque nas batalhas de MC da região – inclusive, organiza uma que já é conhecida pela cidade, a Batalha do Terminal – e é reconhecido por seus trabalhos. Tem como foco atual, e já está trabalhando arduamente, no seu primeiro disco, intitulado “Interprete Como Queira”, que está previsto para ser lançado no início de 2017.

Em suas letras, Lucas Sang traz idéias reflexivas, sociais, introspectivas, braggadocios, e tudo mais que lhe vier a cabeça, segundo o próprio afirmou, mostrando ser bem real e fazendo tudo com muito sentimento (quem já foi numa apresentação dele, tá ligado).

O último lançamento do Lucas Sang, foi pela “Free Sessions“, que é um projeto da Vinew Records, com o intuito de movimentar a cena e mostrar o trabalho dos Rappers pernambucanos, e é executado dentro do próprio estúdio. Nesse EP, que já é o quarto da marca, Sang foi convidado para escrever e cantar a letra que fez de freestyle, na hora, e entre dois dos beats apresentados, ele decidiu utilizar ambos, o que mostrou sua versatilidade, pois iniciou numa pegada totalmente diferente da que usou do meio pro fim.

Trouxe punchlines, beefs, que são características da vertente do Rap “Braggadocios“. O objetivo do som é pôr o dedo na ferida do público e pseudos MC’s que só “perambulam” na cena. Mix e master é de Zóe Beats e a edição de Kelvin Braz (Kvb).

Assista ao vídeo:

Trecho da música:
Tudo ao nosso redor regride, destrói os moleque;
tudo dando um passo à trás. Não façam o mesmo com o Rap!
Jesus teve um dia de ira; ato ponto agudo
eu terei três dias de ira, e irei destruir tudo.

Foda, né?! Mas não foi o primeiro trampo do Lucas Sang, que apesar de novo na cena, já tem outros lançamentos. Um deles é a faixa “Ei Homem“, que foi lançada em 27 de setembro desse ano, de 2016, e como em sua participação no episódio da Free Sessions, Sang mostra sua habilidade em punchlines notáveis e uma métrica afiada, falando da realidade das ruas e críticas sociais.

Assista ao vídeo:

Trecho da música:
Aumenta o desemprego e a violência, somente
como é que eu vou acreditar num governo que só mente?
eu sonhei: matando e roubando
pensando bem é pra isso que eles tão me programando
alguns manos foram embora, ou estão perdidos na vida louca
e eu tô fazendo Rap onde a tendência é outra.