Entre Gana, EUA e Brasil: Blitz the Ambassador cria experiência africana global no novo álbum ‘Diasporadical’

“Yes, we are magic. Yes, we are real”, foram frases publicadas pelo rapper ganês Blitz the Ambassador em suas redes sociais, no dia 9 de julho e que simbolizam perfeitamente o seu novo álbum: “Diasporadical“. Cada track imprime a real magia do povo africano em sua sonoridade, ancestralidade, cultura, religião e amor.

Conhecido por sua música visionária e o modo impar com que anuncia os seus trabalhos, Blitz une a reflexão por meio de recursos sonoros e visuais e constrói uma narrativa de suas experiências. Este trabalho traz nitidamente essas características.

O álbum contém 13 faixas e conta com grandes participações, como: Kamau, Akua Naru, Tumi, M.anifest e Patrice. Além das influências do estilo high life — próprio de Gana —  Blitz explica que está sempre experimentando e que o novo álbum contém diversos elementos musicais da África. Com apoio de produtores como Optiks e IAMNOBODI, para  criar uma aliança entre instrumentos e batidas duras.

Capa do álbum feita pelo artista americano Oliver Barrett.

Para mim, é sempre sobre fusão. Sobre ver o quão bem eu posso combinar diferentes sons da Diáspora, sejam eles afro-brasileiros, afro-colombianos, afro-latinos, soul, jazz, funk. Para mim é como se fossem todos partes de um todo, então meu trabalho é apenas encontrar a melhor maneira de misturá-los todos e é assim que faço“, conta o rapper para o RND.

A dispersão do povo africano e as ramificações culturais, sociais, religiosas, sonoras entre outras, levaram Blitz the Ambassador a uma viagem entre Acra, Bahia e Nova Iorque.

Entre as vivências que obteve nestes três polos, criou uma relação entre os temas e dirigiu uma trilogia de curtas metragens que narram a história de uma mulher que misteriosamente acorda em três países diferentes: Estados Unidos, Gana e Brasil. A cada ato compartilha as suas memórias:

A sua infância no Brooklyn

A fase de jovem adulta em Accra

E a meia-idade em Salvador

Uma marca registrada de sua carreira é de sempre trazer temas políticos, o “Diasporadical” apresenta um discurso tão completo que de dispõe a ser um material de estudo entre os recortes a experiência africana global e luta.

Em contato com Blitz, ele reitera que a track que mais pode exemplificar esses temas é “A(wake)“. Escrita em resposta à brutalidade policial nos Estados Unidos, relatada no movimento Black Lives Matter. Que também teve como inspiração o movimento da África do Sul Fees Must Fall e os protestos que ocorreram no Brasil durante as Olimpíadas.

Temas que são referentes ao passados do rapper como a imigração, espiritualidade, nostalgia e claro, o amor estão presentes. É uma experiência de vida, vale a pena conferir e você pode ouvir o álbum agora: