Pé na porta, filho! Conexão Nordeste e Sudeste no novo single ‘Sujismundo’ do Baco Exu do Blues

Cinco estados em um único som, é de chegar bem pesado e o Baco Exu do Blues chegou, mais uma vez! Hoje, 28, o rapper baiano lançou o single “Sujismundo” que conta com a participação do paulista Bino MC e do mineiro Djonga, com produção do Mazili diretamente de Pernambuco e do Jnr Beats de Alagoas. Que união, senhores!

O lançamento transita entre autocríticas, críticas à cena e auto afirmações como no trecho “I don’t have your money, but you don’t have my skills“, além de questionar o discurso do público do rap e da real life da quebrada.

Esbanjam talento na rima, no beat e principalmente nas referências. Entre Chico Buarque, RacionaisSabotage, mencionam também o BK e o próprio Baco faz menção ao seu som “Serra Leoa“, lançada há um ano atrás, com o trecho: “Não respondi, tava ocupado escrevendo enigmas pra aquela tal de esfinge. Já tinha avisado que esses raps sub15 não me atinge e essas porra não me atinge.“.

A parceria entre eles é inédita, mas admiração que um tem pelo outro não. Depois de “Sulícidio“, Bino e Djonga conheceram o trabalho do Baco e de imediato mostraram que curtiram a track.

A produção musical foi feita por Mazili e pelo Jnr beats, que conta: “início do mês ele tinha me falado que o Baco queria um boombap, e perguntou se eu tava afim de fechar nesse collab, aceitei na hora e deu no que deu. Nem sabia que ia rolar participação do Bino/Djonga, depois foi que ele me falou. Gostei muito do resultado final e espero que o pessoal também curta.”.

Antes de dar o play, o som já bate de frente com uma das maiores polêmicas do rap brasileiro, nos últimos meses: a ‘treta’ entre o Nordeste e Sudeste no rap. O Bino e o Djonga se pronunciaram sobre o caso.

Bino — Internet é terra de ninguém, tem muito “Rebelde sem causa” falando groselha, criança que não paga nem o que fuma achando que é crítico musical, vagabundo interpreta tudo da forma que lhe convém, seja isso para o bem ou para o mal. Eu também não concordo 100% com que é dito naquela track, mas também não concordo com 100% do que é dito em tracks de monstros do rap que sou fã e tenho todo respeito, assim como sem dúvidas Baco também não concorda com 100% do que digo nas minhas, cada um tem sua visão e seguimos nos respeitando, mas no geral acho foda os trampos de Baco e Djonga sim, por isso feliz em rimar nessa fita, se esticar o chiclete sobre essa polêmica vai longe a ideia, mas o principal é que nosso som mostra que a música é maior que isso, quebramos a barreira dos estados, dos sotaques, da distância, das tretas, e acredito que fizemos um bom trabalho, fico bem sujismundo mesmo e esperamos que a malóca se identifique!

Djonga — Não tem treta nenhuma não, treta é trocar tiro no morro . . . Ao meu ver aquilo é uma música e pronto, se for levar pro outro lado, é mais uma reivindicação, mas a galera hoje é meio burra, fica ofendidinho, alguma  da alguém bota o dedo na ferida. Gosto do som de várias pessoa que foi citada na música, mesmo assim achei válido . É tipo um branco ficar ofendido com um preto falando sobre racismo! Pelo amor de Ogum né nordeste e sudeste são regiões gigantes, com varias diferenças e semelhanças culturais, não é 16 linhas que vai desunir tudo, principalmente se o objetivo delas não foi esse. . . Fodas tb, bagulho é cantar, nossa cara é ser feliz!

Agora sim! Clique abaixo para ouvir e/ou baixar:

[su_button url=”http://104.248.15.2.br/?p=39845″ target=”blank” style=”3d” background=”#cf4141″ color=”#ffffff” size=”5″ wide=”yes” center=”yes” radius=”5″ icon=”icon: download”]Baixe a música[/su_button]

Trecho da música
Matei seu verso, matei o tédio
Sou sadboy embrigado, me joguei do quinto andar do prédio
Foda-se sua falsa fama, foda-se minha falsa fama
Cê ama minha música mas ele não te ama