A força da massa do rap dentro da política

FHC limpou os bancos, impeachment. O PT entra no poder com sua linha política de populismo derivado de Vargas e o brasileiro se sente estado-unidense. Sai da linha da miséria, viaja de avião. 

O ano é 2016, Dilma sai do poder por conta de um golpe de estado. Michel Temer assumiu publicamente, na frente da mídia que sim, foi um golpe. 

Menos de 2 dias na “cadeia” voltou para casa de tornozeleira. 

A ex-presidente Dilma sofre misoginia, exposição de imagem e o discurso de ódio toma cada vez mais espaço na mídia. 

Estão dando voz ao fascismo, o “anti lulismo” ganha força, o PT perde seus seguidores e assim começa a nova era. Depois de alguns anos, o ódio toma voz novamente. 

“Vai pegar HIV da boca de um cachorro, cadáveres no poço, no pátio interno, Adolf hitler sorri no inferno”. – RACIONAIS MC. Já dizia… 

No inferno, Adolf sorri, enquanto no Brasil o Presidente atual solta gargalhadas. Humilha jornalistas e oferece cloroquina para pessoas desinformadas.

São mais de 450 mil mortos em menos de 04 anos. 

A pior e maior crise sanitária já registrada em anos.

A ERA DA DESINFORMAÇÃO

A nova era se inicia quando em 2018, o atual presidente Jair Bolsonaro (Sem Partido), entra no poder em uma acirrada disputa. Ele não só venceu a eleição, ele venceu que seu discurso de ódio existe coesão na cabeça da sua própria manada, os “conversadores” se sentem representando, depois de anos.

O Brasil está polarizado entre os “comunistas” e os “conversadores”. 

Somos uma colônia. Fomos uma colônia. 

O Brasil é rico, rico de cultura, rico de sociedade. Rico de cultura/social. Isso faz os 03 poderes tremer. 

O que faz o governo cair? O quarto poder. 

Quem é o quarto poder afinal? 

A mídia, o jornal, o site, o portal de rap que você acompanha. 

A solução é o estudo. 

Pessoas de baixo indo pra cima, de cima indo para baixo, a inflação desmotiva.

Porém, quem realmente fala de cima não enxerga 1/3 do que acontece nas entrelinhas da sociedade. 

E o público do rap? 

Ele se encontra morno, mas está esquentando. Com a pandemia veio a necessidade de consumir e se expressar. Artistas e ouvintes estão se unindo.

A revolução está vindo, o mundo está em movimento, rotação e translação, o genocida está caindo. 

Onde voce se encontrará nos livros de história quando a babilônia ceder? Na sua casa vendo TV? Não aprendeu a votar por conta do BBB? E aí? Em 2022 vai votar pra valer?

Pense, estude e vote. Vote consciente. 

Pelo fim da desinformação, acompanhe os verificados. 

Não caiam na armadilha do Estado. Separados somos grandes, unidos somos invencíveis. 

ESCRITO POR: Camila Alencar / @ataldachamisca