Vias D’Fato, Biro-Biro Ribeiro e Vinicin marcaram um golaço no clipe da música ‘Testemunhal’

Nesta segunda-feira (27), Vias D’Fato, Biro-Biro Ribeiro e Vinicin lançaram o clipe da música “Testemunhal” que teve Terceiro Round Produções responsável pelo vídeo e Matilha Music responsável pela gravação, mixagem e masterização do som.

A música começa com uma introdução do Bate Papo Studio 62, no qual o Emicida participou em setembro de 2014. Essas falas da introdução da música sempre aparecem na timeline das  redes sociais, mesmo de pessoas que não ouvem rap, pois é um vídeo com forte apelo emocional: “Eu me vendi no tempo que ninguém me conhecia, trabalha de pedreiro, ganhava 25 real por dia… Isso era se vender”, trecho do discurso de Emicida.

Vinicin chegou tipo Philippe Coutinho entregando a bola na cara do gol pro Firmino, e ele só precisava empurrar a bola pro gol, porém Firmino quis enfeitar e fez uma pintura. Sim, nesse caso Firmino estava encarnado no corpo do Biro-Biro Ribeiro que não só manteve o nível do Vinicin como subiu o nível da track.

Confira um trecho da parte de Biro-Biro Ribeiro: “Só eu sei o tamanho, então no inverso habito / Reflito todo esmero, do universo, um rito / Que com calma, eu espero, recito verso, um grito / Da alma reverbero a existência do infinito”

A música tem pouco menos de três minutos e trinta, mas é aquele tipo de música que cabia mais uns dois minutos, no mínimo, tamanha qualidade de todos os MCs. E a música não poderia terminar melhor, Vias D’Fato mostrou que esse é o espirito que liberta, pois o importante é trabalhar com que acreditar e cumprir as metas.

Eles disseram que esse trampo foi feito na correria, então fica um questionamento, o que será que pode vir se eles trabalharem com um pouco mais de calma? Assista ao vídeo:

Trecho da música:
Só eu sei o tamanho, então no inverso habito
Reflito todo esmero, do universo, um rito
Que com calma, eu espero, recito verso, um grito
Da alma reverbero a existência do infinito

Nota do editor: Recebi esse trampo por transmissão no WhatsApp, achei ofensivo, mas eu soltei só por que eu achei foda. Que fique claro que o próximo eu só solto se chegar até mim uma mensagem personalizada e autêntica.