Um universo em menos de 23 minutos; é o que Cleiton Oliveira retrata em seu album visual “Corpo, Mente, Religião e Comunidade”

A cada 23 minutos um jovem preto é morto no nosso pais. De 23 em 23 minutos uma historia se encerra, uma canção tem fim. Então é possivel cantar, dentro desses 23 minutos todo um universo? Cleiton Oliveira provou que sim; que em menos de 23 minutos é possivel louvar sua vida, ancestralidade e cultura e ainda expor todas as corrupções de nossa sociedade, que fazem 23 minutos se tornar um numero perigoso.

Cleiton Oliveira é um rapper carioca, da Baixada Fluminense, que desde 2012 correu com sua musica, fez seu barulho na cena do RJ, mas em 2017 se mudou Olinda, Pernanbuco. Alguns anos sem lançamento, mas vivendo a mais pura cultura, Cleiton se inspirou para criar e compor a obra audivisual 23 Minutos “Corpo, mente, religião e comunidade”, a qual teve sua estreia no ultimo dia 23, gravado (e inspirado) em Olinda.

O filme, se da na união de 5 musicas, que resumem suas dores e louvores, seus medos e prazeres, perante a essa realidade. Em apenas 17 minutos, o album, com suas letras, melodias e imagens, são uma aula de historia, de cultura e um choque de realidade para que o escuta e vê. Entre as musicas, relatos de Rejane Barbosa, uma de tantas mães que perderam seus filhos precocemente.

Com fotografias que descrevem a violência urbana, a dor da perda de um filho, e sonhos interrompidos por um Estado que não tem a pretensão de ressocializar um jovem periférico, os versos e as batidas deste novo trabalho buscam despertar a consciência social e política de quem escuta – resume Cleiton Oliveira

O album é produzido inteiramente por Horús Beatz, o que da uma sensação de obra unica e que as faixas conversam entre si. Horús também participa rimando na faixa “Ácido”; além dele o album tem participações de Thamy Sativa em “Podres Poderes” e do Professor Diego Andrev na faixa final “23 Minutos”, a qual ainda tem um recorte de Emicida digno de arrepios. E do além, não poderia deixar de mencionar o sample de ‘Banditismo Por Uma Questão De Classe’ cantado pelo imortal Chico Science.

Com direção e roteiro de Paulo Vitor e Cleiton Oliveira e produção de Manoella Rochelly e Thamy Sativa, “23 Minutos” se da como um dos projetos visuais mais completos e bem feitos do ano, tranferindo ao expectador quase uma sensação de vivencia dos momentos e letras retratadas; cantando suas dores mas ainda sim mostrando a beleza da sua cultura, a qual nunca vão deixar que seja morta, Cleiton Oliveira nos presenteia com um projeto de um nivel que a algum tempo não se vê por aqui. Confira abaixo;