Série ‘The Get Down’ é cancelada e diretor se pronuncia

Aquele ditado “o que é bom dura pouco” nunca fez tanto sentido. Depois dos 11 episódios da primeira temporada, dividida em duas partes, veio o anuncio nesta quinta (25): Netflix e Sony cancelam The Get Down — série que estava contando o início do Hip Hop no Bronx/NY através de um drama jovem que tinha narração de NAS.

Baz Luhrmann, diretor, roteirista e mente criativa por trás do projeto, publicou uma longa carta aos “queridos fãs” de The Get Down. O diretor contou no texto que o fato de não conseguir continuar em tempo integral para uma segunda temporada acabou se tornando crucial para impedir que houvesse uma renovação:

— Quando me pediram para liderar as coisas em The Get Down, eu tive que adiar o compromisso de dirigir um filme por pelo menos dois anos. Esta exclusividade, compreensivelmente, tornou-se uma questão para Netflix e Sony, que têm sido enormes parceiras e apoiadoras da série. Fico muito triste em não poder me dividir em dois e conseguir ficar disponível para as duas coisas.

Luhrmann também observou que surgiram várias ideias sobre como continuar a série, até mesmo no formato de um espetáculo. Porém, ele disse que a decisão acabou sendo em retomar suas atividades no cinema.

— A verdade é que eu faço filmes. E o negócio com filmes é que, quando você os dirige, não pode haver nada mais em sua vida. Desde que The Get Down parou, eu realmente gastei os últimos meses preparando meu novo trabalho cinematográfico.

Se você já viu The Get Down e agora bateu aquela bad, temos uma boa dica: assista a série Atlanta, um drama que retrata a cena Trap atual — o Ronald Rios deu bons motivos pra tu ver neste vídeo.

Carta na íntegra e traduzida

Queridos fãs de The Get Down

Gostaria de me dirigir a vocês de coração aberto e apenas reconhecer quão agradecido e emocionado não só eu, como todos que deram tanto a essa produção, ficamos por sua paixão e comprometimento pelo próximo capítulo de The Get Down retomar a produção num futuro próximo. Quero explicar a vocês por que é improvável que isso aconteça…

Quando fui convidado para o centro de The Get Down para ajudar em sua realização, tive que recusar meu compromisso com a direção cinematográfica por pelo menos dois anos. Essa exclusividade se tornou, compreensivelmente, um obstáculo para a continuidade da série para Netflix e Sony, que foram tremendos parceiros e apoiadores. Me mata saber que eu não posso me dividir em dois e ficar disponível para ambas produções. Eu me sinto profundamente conectado a todos que trabalharam e colaboraram nessa experiência memorável.

Tudo foi desenvolvido visando ao futuro… Até um show num palco (você imagina? Eu imagino. E versão acústica, alguém? No próximo verão? Pensando alto…) Mas a verdade pura e simples é: eu faço filmes. E a questão quando você trabalha com cinema é: quando você é diretor, não pode haver mais nada em sua vida. Desde que The Get Down parou, eu tenho, na verdade, passado os últimos meses preparando o meu novo trabalho cinematográfico.

O elenco dessa série é único e excepcional. Além dos nossos atores veteranos estelares, eu não sou capaz de dizer quão privilegiado eu me senti por ter encontrado jovens tão talentosos — estando muitos deles estrelando filmes, criando música e seguindo caminhos incríveis em suas carreiras. Nosso elenco, roteiristas, colaboradores musicais, coreógrafos, equipes de câmera, direção e pós-produção, todos sentiram o profundo privilégio de ter sido abraçados pela região do Bronx e por grande parte da comunidade do Hip-Hop. Mas, mais especialmente, pelos pioneiros do Hip-Hop: Grandmaster Flash, Kool Herc, Afrika Bambaataa, Grandmaster Caz, Kurtis Blow, Raheim e todos os b-boys, b-girls, grafiteiros, MC’s e DJ’s que tornaram essa história possível. Assim como todos que mantêm a chama acesa e são luminares, como Nas. Vivemos coisas juntos de que nunca me esquecerei. Todos nós da família The Get Down fomos tocados por essa preciosa missão de contar a pré-história de uma forma de cultura que transformaria não apenas a cidade, mas o mundo.

Sobre o verdadeiro futuro da série, o espírito de The Get Down, e a história que começou a ser contada… ela tem sua vida própria. Que vive hoje e continuará sendo contada em algum lugar, de algum modo, por causa de vocês, fãs e apoiadores.

Agradecido e honrado, e pra citar a linda balada de Mylene: “I’ll see you on the otherside…”

Saudações,

Baz