São Nunca – Neblina

Capa aligncenter

Artista: São Nunca
Álbum: Neblina
Ano: 2013
Faixas: 14
Tamanho: 64,5MB
Formato: Mp3
Qualidade: 320 Kbps

Músicas:
01 – Intro (prod. Lucas Pombo)
02 – Enquanto houver amanhã (part. Lucas Sfar | prod. DJ MK Beats)
03 – Poder da palavra (prod. Lucas Pombo)
04 – Hipnose (prod. DJ MK Beats)
05 – O fim do começo (prod. Lucas Pombo)
06 – Skunkara (prod. Lucas Pombo)
07 – Zero hora (prod. DJ MK Beats)
08 – Deixa falar (prod. DJ MK Beats)
09 – 5:50 (prod. DJ MK Beats)
10 – Então esquece
11 – Aflordisíaca (part. Filipe Resende | prod. Lucas Pombo)
12 – Neblina (prod. Lucas Pombo)
13 – Paz de espírito (part. Lucas Sfar | prod. Lucas Pombo)
14 – Camisa 10 (prod. Lucas Pombo)

[su_button url=”small” link=”http://104.248.15.2.br/baixar/sao-nunca-neblina/” target=”blank” style=”3d” background=”#cf4141″ color=”#ffffff” size=”7″ wide=”yes” center=”yes” icon=”icon: cloud-download”]Download[/su_button]

[youtuber youtube=’http://www.youtube.com/watch?v=0-kn3SKDGUQ’]

[su_spoiler title=”Sobre o disco Neblina e o rapper São Nunca” state=”close”]

Apontando problemas, mas também trazendo possíveis caminhos, o novo disco do grupo curitibano São Nunca se apresenta como um soneto, que em sua consagrada forma traz proposições e resoluções.

 Intitulado Neblina, o trabalho lançado em outubro apresenta entre seus temas a constatação de que a vida não é fácil, mas paralelo a isto aponta alternativas de como se portar nesta longa jornada. A conclusão, ou chave de ouro, vem por meio da música “Enquanto Houver Amanhã”, que conta com a participação de Lucas Sfair, do grupo Namorada Belga.

 Composto por 14 faixas (assim como um soneto em seus versos), o grupo de rap formado pelos Mc’s Felipe Raposo, Gw e Ponthe traz além da rotina urbana (presente em músicas como “Poder da Palavra”, “Hipnose”, “O Fim do Começo”, “5:50” e “Neblina”) temas como o relacionamento a dois (“Então Esquece”, “Aflordisíaca”e “Paz de Espírito”), o aspecto sombrio e também divertido da noite (“Zero Hora”, “Deixa Falar” e “Camisa 10”) e a polêmica questão das drogas (“Skunkara”).

 O ritmo do disco é aquele já característico do grupo, ou seja, batidas pesadas e rápidas compondo o cenário para que os três mc’s cantem com a determinação que faz a música bater forte nos ouvidos.

 Os instrumentais de Neblina foram produzidos pelo Dj Mk e o beatmaker Lucas Pombo. Os riscos dos scratchs ficam por conta do Dj Popson.

 O novo trabalho com músicas inéditas surge dois anos após Santo Forte (2011).

[/su_spoiler]