Rodrigo Zin lança clipe novo, confira uma música de amor chamada ‘Carolinaa’

A música “Carolinaa” é a segunda faixa do CD “Ninguém“. Ela foi a primeira música feita para esse álbum e foi produzida pelo próprio Rodrigo Zin, integrante do grupo 0800 Crew, a música foi criada com intuito de soar em um tom parecido com o que o rapper canadense Drake faz, seguindo um ritmo dançante, porém com uma letra bem poética.

O disco não foi lançado, a previsão para lançamento é março de 2018, mesmo o disco não tendo sido lançado, todos os fãs do artista conhecem o que envolve “Ninguém”. A música “QuatroZeroQuatro“, será a faixa de introdução do disco e já foi lançada com vídeo clipe.

Na música “QuatroZeroQuatro”, o rapper fala:

Se eu falar de amor no começo é chato.

Então nada mais sensato do que deixar pra falar de amor na segunda faixa do disco. A segunda faixa do disco é a música “Carolinaa“, que fala de amor:

Se falei de amor, eu já não sei
Era minha vida nessa taça
O tempo já bebera dessa taça
Com quem tu vai dividir sua taça?

Todas as faixas do CD estão ligadas, por menor que seja o detalhe dessa união, elas existem, tornando o CD, uma obra bem amarrada, que prende o ouvinte e que consegue conversar muito bem com o atual momento vivido pelo rap nacional, um momento chamado: referências.

Rodrigo Zin criou um universo para “Ninguém”, muito vasto, universo que construiu a música “Carolinaa”. Você deve está se perguntando se houve algum erro de digitação no nome da música, mas não, a música realmente tem o nome “Carolinaa”, com duas letras “A” no final.

Carolina neste caso não representa um nome de alguma mulher, mas sim o nome do doce, aquele mesmo que tem em quase toda padaria. O motivo disso, é porque essa faixa representa dois votos de casamento. Rodrigo Zin ou “Ninguém”, não sabe de fato quem está se casando, mas ouve aquele discurso apaixonado, enquanto se alimenta das sobremesas, sim, Carolinas.

O ênfase na letra “A”, é pra representar um grito, uma exclamação – como se estivesse interrompendo o casamento – como se não fosse bem recebido naquela cerimônia. Na realidade, o personagem não se contenta apenas com a sobremesa, ele quer o bolo.

“Marta Rochaa”, esse é o nome da terceiro faixa do disco “Ninguém”, nessa música será possível desfrutar deste bolo e deste universo que Rodrigo Zin preparou para nós.

O clipe de “Carolinaa”, foi filmado e editado pela Affluence Films, sob a direção de Matheus Santos, o conceito do clipe é muito básico – Mostra Rodrigo Zin cantando e dançando no meio da rua, cercado por uma Igreja e uma Catedral, dando a entender que ele não pôde participar do casamento que estava ocorrendo naquele momento. No final do clipe vemos Rodrigo entrando na Igreja, mas o que acontece depois se torna uma incógnita.

Um pouco mais sobre o CD “Ninguém”

Ocorreu diversos atrasos e claro, era pra ser lançado ainda nesse ano de 2017, mas Rodrigo Zin, não está focado em lançar apenas um CD. O que ele está criando é uma história, pra isso ele precisa de mais tempo para aprimorar os instrumentais e até quem sabe, chamar algumas participações extras.

Sem falar que Rodrigo pretende lançar o CD justamente no começo do ano, pois assim as pessoas poderão absorver e entender melhor o “Ninguém” – As pessoas vão ter todo o ano de 2018 para poder desfrutar essa obra e desvendar os mistérios por trás de cada faixa.

Ninguém conta a história de um “ser imortal”, que viu a humanidade perecer. Um ser que viu desde o casamento, a celebração, a vitória, até o caos, o dilúvio, as ruínas e por fim, o deserto.

Desde o “Francisco Oceano“, um EP que será lançado ainda neste mês de dezembro, até o álbum “Ninguém”, vemos os mares calmos e revoltos se transformarem no mais árido deserto. Vemos o amor secar e a única coisa que um Imortal pode fazer, é passar esses últimos instantes com a Terra, dividindo o amor, que o mesmo adquiriu através dos anos.

São esses pequenos detalhes que transformam o rapper Rodrigo Zin, em mais um ótimo representante da cena do rap de Curitiba. São essas pequenas nuances em suas músicas, que o torna chato, segundo o próprio, pois ele sempre estará disposto a falar de amor em suas letras.