Projeto 10lumbre realizará web reality focado na criação musical

Fernanda e Ben Hur Real, idealizadores do projeto

Entre os dias 13 e 16 de Abril, no Rio de Janeiro, acontecerá a “10LUMBRE: A IMERSÃO MUSICAL”, precisamente na Casa de Vidro localizada no ponto mais alto da comunidade do Vidigal, na Zona Sul carioca.

Através do edital Fomenta Festival, RJ, com recursos da Lei Aldir Blanc RJ, durante 03 dias, 10 artistas se reunirão em uma experiência inédita de registro ao vivo em formato de “reality” focando unicamente na interação musical, e o nascimento de uma nova obra, o que resultará em um EP de 10 faixas inéditas com direitos autorais e conexos devidos através de registro reconhecido pelo ECAD.

Com estúdio de gravação montado na casa, esses artistas passarão por 03 dias intensos de muita música, enquanto o espectador poderá acompanhar esse processo de criação inédito na cena nacional através do canal YouTube/10Lumbre.

Além disso, participações especiais como a de DJ Negralha, Gui Maia (fotógrafo) e DJ T.R, acontecerão durante a Imersão Musical, onde eles dividirão suas experiências e opiniões com o intuito de causar impacto sobre as vidas dos participantes.

Talentosos artistas ainda desconhecidos ao grande público, vivenciarão a experiência que dará o pontapé inicial necessário para suas trajetórias de sucesso. Contarão com a 10LUMBRE: Editora, distribuidora, e selo que preza pelo reconhecimento autoral e conexo do artista.

Conheça os artistas confirmados na Imersão Musical:

  • Martin Marassa (Produtor)

Martin Marassa, Argentino residente na Praia do Mangue Seco, MA, já tocou com grandes nomes como Manu Chao junto com La Cartelera ,  The Wailers, Peter Tosh, Alpha Blondie e The Skatalites. Chega ao Rio de Janeiro para participar do 10LUMBRE A IMERSÃO MUSICAL, viabilizado pela Lei Aldir Blanc, que acontecerá entre os dias 13 e 16 de Abril na Casa de Vidro, no Alto do Morro do Vidigal.

  • Frizzy Beatzz (Produtor & Beatmaker)

Frizzy Beatzz, é produtor musical do Rio de Janeiro que começou a fazer música por hobbie sem divulgar as produções, depois de mais tempo estudando decidiu mostrar o que tava criando para amigos e recebeu muitos feedbacks positivos, a partir daí percebeu que tinha sim potencial para investir no sonho de trabalhar com arte.  Influenciado por grandes nomes da produção musical como Tropkillaz, Coyote, Papatinho, El Lif, Havy Baile, Murda Beatz, e outros, o rapaz de 21 anos pretende fazer ainda muitos trabalhos sólidos para conquistar admiração e respeito da cena para virar referência e ter oportunidade de trabalhar com seus ídolos.

  • Catharina Bravin (Cantora – Nova MPB)

A paraense Catharina Bravin, 22, iniciou a carreira em 2017 e até hoje faz música voltada para a nova MPB. Com inspirações ecléticas que vão de Céu, Flora Matos a Joelma e Djavan, tem como objetivo fazer trabalhos de qualidade, com muita verdade e sentimento para que quem a ouça se conecte com suas letras. Já participou de festivais como “Só uma Panca” que tinha Filipe Ret na line e atualmente produz novos trabalhos buscando estar sempre em transformação.

  • GOIR (MC)

Influenciado por MC’s locais de onde morava, GOIR começou a cantar de forma despretensiosa, porém tudo mudou quando aceitou subir ao palco a convite de MC Frank e ali sentiu que não ia parar mais, e não parou mesmo. O seu nome artístico remete a suas épocas de rua, por conta pixação (que tem cultura de embaralhar assinaturas) seu nome de batismo, Igor, se transformou em código de trás pra frente. Hoje com 33 anos, o também piloto de avião, está nos seus planos continuar trabalhando e atingir o sentimento de uma grande massa de pessoas para, assim, passar uma visão coerente, inteligente e verdadeira. Com referências no Rock, como Charlie Brown Jr., vê suas criações como processos de viver e se expressar.

  •  Kaemi7 (MC) 

Kaemi7 começou seu trabalho na música em 2012 com o funk, gostava de editar vídeos para o YouTube e a partir disso passou a se aprofundar e estudar produção musical, tempos depois se tornou DJ em festas e não demorou para tocar em bailes grandes nas favelas da Zona Norte do Rio de Janeiro. Em 2019 decidiu deixar o ritmo carioca de lado e se lançar quanto artista de trap. Com uma carreira marcada por muitos altos e baixos, a meta é fazer o jogo virar. Os planos é alcançar a cena trap até chegar em rádios e obter reconhecimento internacional.

  • SLM Roiju (MC)

Cria da Zona Norte do Rio de Janeiro, SLM Roiju começou sua carreira em 2019 junto do coletivo SLM, foi a partir da experiência de viver seu primeiro trabalho nas ruas que sentiu vontade de trabalhar integralmente com música e decidiu se dedicar de forma total a arte. Sua influência de vida são seus pais e musicalmente seu repertório de referências conta com nomes como Cone Crew, Filipe Ret, Froid, Lil Baby e Young Thug. Cantando no gênero Hip Hop, primeiro quer alcançar seu espaço na cena atual para assim atingir um público e entrar em sintonia com quem gosta do seu trabalho.

  • Palla Club (MCs)

Em agosto de 2020, quando lançaram “Bolsa da Prada”, a dupla “Palla Club” dava início aos seus trabalhos no gênero Hip Hop. Jotta Lee, 20, e Drico Dri, 19, são dois jovens do Maranhão que vivem do sonho de conquistar o seu público para assim se profissionalizar e viver de música. Decidiram se unir depois quando perceberam que juntos poderiam alcançar, com suas composições, maiores níveis de popularidade e reconhecimento.  Entre suas principais influências estão Drake, Kendrick Lamar, Young Thug, Matue, Yunk Vino e Filipe Ret.

  • Ana Rima (MC)

Sempre envolvida com a arte, Ana Rima, 21, começou a conhecer a cultura hip hop em 2015/2016 na “Batalha da Rima” na sua cidade, mas só em em 2018 que deu início aos trabalhos no rap. Com uma personalidade ímpar, na qual tem Deus, mãe, filho, produtor e amigos como influências na vida, a rapper tem expectativa no seu trabalho, já abriu shows para artistas como Djonga, quer ser reconhecida e assim poder ajudar pessoas que se identifiquem com sua arte.


Flyer de divulgação do projeto