Pelotas tem primeiro livro sobre rap: ‘Resenha do Rap’

A história do rap tem um novo capítulo. São 22 entrevistas com diversas personalidades do Hip Hop nacional. Desde os precursores King Nino Brown, coroado Rei Zulu pelo criador do Hip Hop, o Afrika Bambaataa; além de Athalyba Man, que foi membro do primeiro grupo de Rap a gravar um disco no Brasil.

Passando por DJ Raffa, produtor do hino:

“É, mantenho minha cabeça em pé, fale o que quiser, pode vir que já é…”

Lino Krizz, do lendário grupo Os Metralhas e dono da voz do refrão da música “Senhorita“, também tem Kamau, Japão do grupo Viela 17Zulu Tr, que já foi DJ do MV Bill, outros nomes como Eli Efi, Rael, Rashid, Da Guedes, Thig, aquele que canta:

“Aí, cê tá no Jaçanã, tá na picadilha
Me acompanhe no pião eu tô de bike na vila, liga
Embaixo, em cima, no dia a dia, na correria
Com a minha família, pra fazer o rap virar”

Jair Brown, Anjo DB, Furiah Do Raciocínio, Lindomar 3L, Fill, Tha Gattha (Negrociação), Negro Rudhy, Mr. Diones, 5 Pra 1 e DuckBeatz. São relatos de vários lugares do Brasil, em um pouco mais de 200 páginas, que ajudam a construir um pouco da história do Rap nacional, e que servem para documentar essa rica história, para que gerações futuras saibam reverenciar quem pavimentou essa estrada.

Gagui Idv já escrevia antes de resolver lançar o livro, tem um blog que leva o mesmo nome, Resenha do Rap. A vontade de escrever surgiu da necessidade de conhecer as histórias do Rap nacional contadas pelos próprios artistas.