NOVAmente lança roda de Cypher, assista!

Na última terça-feira (11), o selo NOVAmente lançou uma roda de Cypher com  Nando Noise, Paulo Gaspar, EVE Crew, Yuri Pontes e Pêra Illipronti.

“Fizemos o cypher de improviso (até por isso é um piloto) durante uma reunião.. é um teaser dos próximos trabalhos que o coletivo vai lançar em 2015, tem mixtape dos projetos de cada um e um EP do coletivo mesmo” disse Leandro, integrante do coletivo, “a ideia é ter cypher todo mês, sempre dando uma variada nos locais de gravação” contou.

Pra quem não ta ligado, Cypher é o termo usado para quando os mc’s levam letras prontas para rimarem em conjunto, cada um fazendo a sua parte; como se fosse uma tradicional roda de freestyle, mas com os versos na ponta da língua.

A instrumental é de Freddie Joachim e a masterização e mixagem é de Yuri Pontes.


[su_spoiler title=”Letra” style=”fancy” icon=”plus-square-1″]
Nando Noise:
Pele rústica feito solo do agreste suando por todos os poros
Barba feita gilete gasta
Estar em guerra com o mundo o pai
sem inteligência bichão a caminhada embaça
Tem que ser leão nessa praça
pra trazer paz e conforto pra dentro de casa
Luz que feri os olhos cansados
Sol que arde asfalto que queima
Cada dia é um quilo nas costas
Sem medo do dedo que condena
A vida eh casca Fardo confuso do pensamento avulso
Boca amarga pouca fala
O que acontece como um cérebro de alguém que vive em um mundo que não criou?
Pedidos a bíblia não eh revistinha da avon donnn!
Fracasso experiencia que aperfeiçoa
Quem não aprende com os erros o ego infla ecoa
Milhões de coisas erradas, risada disfarçada
O sangue que vai é bem mais leve do que as lágrimas
Gaspar:
Eu sempre vou carregar o mesmo brilho no olhar
já que o mundo é meu quintal eu vou sair pra brincar
vou desbravar territórios, vou desvendar mistérios
ver a mudança de perto, é isso que eu quero
tô legal e sei que eu ainda não vi de tudo
mas sei que não posso confiar em todo mundo
sem rancor, nem alimentar maus sentimentos
tiro boas lições até dos maus momentos
nem sei se todos que apertam minha mão
e me chamam de irmão, querem me ver campeão
talvez por dentro, eles torçam pela minha queda,
mas só em organismos fracos bactéria se hospeda
ouço palpites, ouço milhares de sugestões
me dão opiniões, mas nem sabem minhas razões
é complicado, eu sei e se eu der atenção
vou tá sempre mudando igual um camaleão.
Lelê:
Eu voo em cada passo, me vejo e ameaço
Vou saindo do compasso mas não rasgo o lacre do maço
O pensamento foge, vai longe e viajo
Mas quando eu sinto falta já percebo e nesse ato ja me satisfaço
É fácil, mas não me engano
Historias contadas no passado em que acreditamos
Tanto tempo que vamos deixando as verdades de lado e nos tornando mundanos.
Humanos são humanos, mano.
Onde nenhum lado tá certo esses insanos vão causando danos
Ano após ano, nos escombros urbanos, o mundo acabando e não adianta mais passar o pano.
Sapateou demais e já perdeu o salto
E o que vale mais é a lei de quem grita mais alto
Fato foi dado, ta comprovado o assunto:
Falam muito mas o intuito é não ter conteúdo
Pinguim:
Pode sair fora que já to solando Top
E quando o round começa ninguém pega meu spot,
Pesadelo de camper em qualquer mod,
No bolso uma Glock, juggernaut, double XP, COD,
Eve crew cheidelove,
Dez anos de corre, dinossauro level Yoshi
De colar de Boo, shotgun do lele, Mario Kart
Anti-hero no role essa é minha Wario Party,
Time GG, numeração 80
Fat princess no buffet nóis ostenta
Sangue no zói, angry birds
Pros que atrasa, Flappy Bird, swerve swerve
E não me chama de boy, comecei igual o Paperboy
Do grito pra rima, mas nunca calei minha voz
Rap’n’roll Racing nossa cena destrói,
Porque cê já tá ligado que Novamente é nóis.
Yuri Pontes:
Slackline não rola pra mim, sem paciência
Agora é só punchline no rim, é a violência
Chilique na timeline, enfim, inocência..
Prefiro um trago no green, que é a minha essência
Buscando essas notas pra trazer algum conforto
Fazer o mundo lembrar de mim pra sempre, assim nunca tô morto
E se eu te olho torto num é por ser um filho da puta
E sim porque já confiei em um achando que era truta
Me escuta, sem pagar pau pra ninguém nessa porra
Ignora agora, mas lembra: o mundo é uma gangorra
E logo eu posso estar do outro lado, cê tá ligado
Pronto pra jogar uma bigorna na cabeça de uns arrombado
Me estabelecer na brecha de mercado, indústria podre
Formadores de opinião que nem sabem o que falam sobre
Eu sempre soube, e se eu não sei calo a boca e fico quieto
Pra quando for abrir ter certeza que o papo é reto
Se tá ruim eu veto, só vão ouvir o que eu tiver de melhor
Sem dó, acelerado eu vim de fábrica, sem pó
A Exame fala o que fazer aos 20 pra se ter sucesso aos 30
Me olho no espelho e me pergunto: por que é que eu não tô rico ainda?
Pêra Illipronti:
E ai Reaça? Qual é tua graça?
Já foi para Paris ou quer que a gente te despacha?
Não vou parar, por Saravá Oxalá
Logum edê meu axé é bom, vem testar pra vê.
[/su_spoiler]