Msário defende a igualdade de gênero nas relações no single “Dona de Si”

O fim do Pentágono deixou muitos fãs órfãos, mas, para alegria de todos, seus integrantes têm lançado trabalhos para lá de excepcionais e, assim, matado um pouco da saudade que o grupo, sempre tão emblemático, deixou no rap nacional. Agora foi a vez de Msário lançar “Dona de Si“, single que fala sobre a igualdade de gênero nas relações.

No beat de blues, produzido pelo renomado beatmaker Skeeter, o rapper expõe, com a cantora Heloá Holanda, a necessidade de se redefinir na sociedade atual quebrando o sistema e, claro, tentando deixar todo o machismo patriarcal de lado. O beat, que não é muito comum quando se fala de rap, ainda conta com a participação do trombonista Bocato, que deixa a musicalidade do single ainda mais incrível.

Ao admitir ter errado muito em seu passado, Msário mostra na letra que procura, diariamente, deixar de lado sua postura machista do passado, mudar toda a sua atitude, compreender melhor a mulher moderna e, assim, se transformar internamente. Com sua voz marcante, Heloá exige respeito e deixa claro que, independente das opiniões masculinas, não vai abaixar a cabeça e seguirá com sua liberdade.

Um homem falar sobre igualdade de gênero em um rap é de extrema importância, pois mostra o quanto esse terreno ainda precisa ser desbravado e, além disso, é importante para a mudança de discurso que (felizmente) cada vez mais não representam.

Apesar da sociedade nos dizer que é necessário nos limitarmos a um gênero apenas e ficar com esse papel para sempre, imaginar um mundo sem diferença de sexo e gêneros pode ser mais fácil do que parece quando, principalmente, os homens estão dispostos a se desconstruir, mudar seus pensamentos, aprender a ouvir e, consequentemente, se disporem a mudar.

A faixa, que faz parte do novo EP de Msário, que tem previsão para ser lançado no próximo semestre, ganhou um lyric vídeo. Se liga:

[ytp_video source=”UgLSHZKtsj8″]

Trecho da Música
“Vejo Mano de saia e mina dê terno / Isso que é foda que tô fora de moda / Se não quebro o sistema você que me acorda”