MR-13 lançou um dos melhores álbuns do ano, mas por não ter hype, você não ouviu

Pouco mais de um mês atrás recebi no meu instagram o link para o lançamento do novo cd dos fundadores de uma das batalhas mais consideradas do Brasil, a Batalha da Matrix. E como todos os trampos que recebo, busco dar atenção e escrever sobre os que mais curto, mas com esse foi algo totalmente diferente. A primeira vez que coloquei para tocar, enquanto estudava, algo me chamou a atenção. Não era um trabalho qualquer, era algo diferente, que durante mais de um mês fiquei pensando em como seria a melhor maneira de apresentar este projeto para vocês.

Sem hype, sem patrocínio e sem fã clube, apenas com talento, força de vontade e dom. É assim que eu definiria esse segundo projeto do grupo MR-13. Seis anos após o primeiro trampo intitulado “Antes de Mais Nada“(2013), o projeto lançado em 2019 da continuidade a um trampo fino, mas mostrando o amadurecimento nas linhas, na produção, na ideia dos mc’s, e no cenário em que nosso país se encontra.

MR-13 é a abreviação do nome do grupo, que significa: 'Ministério Revolucionário dos Loukos'

Nada Mais de Antes” é acima de tudo hip hop! O trabalho feito por Rato, Vale, Vibox e Murilex, é algo que transcende as divisões criadas pelo público e por mc’s que tentam separar o trap do boombap, dividindo a cultura e menosprezando determinados segmentos. Independente do beat escolhido, as faixas parecem que conversam entre si, e formam um grande laço no final, tanto as 10 faixas do álbum, quanto as 2 bônus, que são as cyphers Pílulas Vermelhas 1 & 2“, que contam com participações dos principais artistas do ABCD de São Paulo.

Desde a capa e a ‘intro‘, é possível já sentir que o que está por vir é algo diferente, a ideologia e os pés fincados no rap mais raiz e atual possível, desliza entre a sutileza e agressividade de cada linha, mostrando que por mais profissional que seja a qualidade do produto apresentado, o underground é a essência que move cada track.

Eu pensei em descrever faixa por faixa, mas eu poderia cortar a brisa que é ouvir e reouvir essa obra, que ultrapassa alguns limites do que vem sendo apresentado no cenário atual do Rap Nacional. O que posso dizer é: ao mesmo tempo que a agressividade das criticas sociais e governamentais são a base, as aulas de ancestralidade e referência casam em uma combinação perfeita, permitindo ainda assim, um espaço para um hit mais leve e contagiante, que calha como a cereja do bolo, que é o caso da faixa 8 “Detalhes em HD” com participação de Alinega.

Foram seis anos sem lançar um álbum, para em 2019 chegar literalmente com os dois pés na porta, e um dos melhores álbuns do ano, na minha opinião, mesmo com grandes lançamentos. O título faz jus ao que o álbum é “Nada Mais de Antes“, mostrando o quanto muitas coisas precisam mudar.

Não divulgar este trabalho seria um pecado mortal, do qual os deuses do rap não perdoariam nenhum amante da cena, e compreender a singularidade do projeto, e tudo que ele tem a passar, talvez seja algo que nem todas as pessoas tenham a felicidade de experimentar, porque este trabalho vai muito além do que se ouve, ele toca no mais profundo da nossa humanidade, em todas as faixas, por isso é necessário sentir.

Vale a pena colocar o fone de ouvido e se atentar em cada linha que esse álbum tem a nos oferecer. E assim, quando compreender o que realmente quer ser falado, será possível entender o principal objetivo do álbum: “Nada Mais de Antes“.