Lucas Degas conta detalhes da ascensão da 30PRAUM e revela que move dois processos contra Matuê e o selo

Tivemos uma longa (e boa) conversa com Lucas Degas ou como muitos de vocês podem conhecê-lo: Sir. Degas.

Degas esteve diretamente ligado ao desenvolvimento dos primeiros clipes lançados por Matuê, como podemos perceber nos créditos de “R B N”, “Celine”, “Lama no Copo”, “100 Placas”, “Quem Manda é a 30”, “Morte do Autotune” e “Banco”.

Em todos os clipes, Degas é creditado como Diretor, com exceção de “Morte do Autotune” e “Banco”. Na entrevista, Degas explicou que nesses dois últimos clipes já havia sido desligado da 30PRAUM, por isso atuou apenas como Assistente de Direção.

Degas nos contou como o projeto foi idealizado e dá detalhes das estratégias que levaram a 30PRAUM ao topo do Rap Nacional. Com muita gratidão por todos os momentos que viveu, ele elegeu o clipe de “Lama no Copo” como seu preferido, pois é o que mais reflete a vivência que eles tinham.

“Meu clipe do coração dentro daquele projeto é Lama no Copo. (…) Aquilo representava o que era a 30PRAUM. As coisas mudaram mais próximas da minha saída. (…) Não é por que aconteceu alguma coisa que o que foi feito na época e o sentimento daquilo pra época vai mudar. Porque até então era verdade”.

Matuê, Shark e Lucas Degas na filmagem do clipe “Lama no Copo”

A conversa partiu de um convite de Kaaif ao diretor de set com o intuito de revelar detalhes da criação e ascensão do selo que hoje domina o cenário do Trap no Brasil.

O que não sabíamos é que a relação entre Degas e a 30PRAUM acabou e deixou algumas questões más resolvidas que resultaram em dois processos. Mas isso é só o capítulo final de uma história que vocês precisam conhecer.

“A 30PRAUM foi talvez o degrau mais importante da minha carreira como profissional, mete fé? Porque até no fim eu aprendi, saca? Aprendi como as coisas não devem ser feitas. E aprendi o que eu não quero fazer quando eu tiver naquela posição”.

Lucas Degas é diretor de set, diretor de fotografia e diretor de criação e na 30PRAUM atuou na função até outubro de 2018. Trabalhava na direção de videoclipes e na criação de conceito e imagem do rapper Matuê.

Segundo Degas, a 30PRAUM foi idealizada por ele, Matuê e Rafael Trajano (Rafinha). Entretanto, Rafinha teve que se afastar por motivos pessoais bem no início do projeto, antes do primeiro lançamento (R B N). Logo após, Clara Mendes (ex-esposa de Matuê) entrou no projeto e assim nasceu a 30PRAUM.

“A ideia da 30 no começo não foi a de tipo ‘ah, vamos fazer um clipe aqui’ foi de ‘vamos fazer uma parada junto’, saca? ‘Vamos construir uma parada juntos’. (…) Por isso que eu digo: sou fundador da 30 porque nunca estive lá como um prestador de serviço”.

A questão acerca de Lucas Degas ser um dos fundadores, atualmente é discutida em um processo judicial. Quando pesquisamos o CNPJ da 30PRAUM Agenciamento & Produção LTDA percebemos que foi criada em 05/12/2018 e que são declarados como sócios apenas Matheus Brasileiro Aguiar (Matuê) e Clara Mendes de Freitas Schymczy.

Imagem retirada do site Genius.com. No site ainda consta o nome de Degas como um dos fundadores.

Lucas Degas afirma que Matuê e Clara informaram que não precisavam mais de seus serviços em uma reunião realizada em outubro de 2018, ou seja, antes da finalização do contrato social da empresa.

Depois de refletir bastante sobre o assunto, Lucas decidiu ingressar com duas ações no final de 2021: 1) ação de reconhecimento de sociedade de fato da 30PRAUM como sócio fundador, com apuração de haveres e reparação por danos morais; 2) ação declaratória de direitos autorais dos clipes que atuou como diretor.

Na conversa que tivemos, Degas conta detalhes de tudo que aconteceu desde o início do projeto até o dia em que foi dispensado por Matuê e Clara. Vale ressaltar que Degas afirma que jamais foi remunerado por sua produção artística.

“O que me fez me afastar mais foi entender que o que ele cantava não é realmente quem ele era. (…) Mas ‘eu divido tudo com os meus irmãos’, só se for com os novos”.

Procuramos a Assessoria Jurídica da 30PRAUM para se manifestar sobre o assunto, mas até a publicação desta matéria não obtivemos resposta.

Na entrevista, você vai descobrir qual foi o orçamento inicial do primeiro clipe do Matuê, que a jaqueta que o rapper usou em “Quem Manda é a 30” não era dele e qual era o nome da banda de pop rock que Matuê teve na adolescência, além de inúmeros outros detalhes que só quem esteve nos bastidores da ascensão da 30PRAUM pode revelar.

Confira toda a entrevista abaixo: