Foto: @LF.coelho-61
Foto:@LF.coelho-61

Jafari lança seu primeiro EP pela Aldeia Records, confira “Maconha e Type Beats”

Existe uma parada que podemos chamar de “raiz do rap nacional”, que veio muito antes de todo o hype que envolve a cena hoje. Nessa época, sem todas as ferramentas que temos hoje, para um mc se destacar era preciso conseguir muita visibilidade, e isso começou a mudar com a febre que as batalhas de rima se tornaram por todo país, principalmente depois do sucesso de Emicida, Rashid e Projota.

Existia um destino em comum para os amantes de rap em São Paulo se encontrarem, a estação Santa Cruz, onde coincidentemente, também começou a trajetória no rap de Jafari, um dos principais mcs de batalha e referência no estado. Mas, antes disso, com apenas 8 anos, Lucas Pereira de Lima se envolvia no mundo da música através do samba, onde frequentava algumas rodas com o seu pai e começou a fazer algumas rimas, indo depois para o rap.

“Eu comecei a batalhar no final de 2013, lá na Santa Cruz, e às três primeiras eu perdi. Depois disso, tive um estalo na mente que para fazer isso bem, precisava praticar em casa. Passei seis meses em casa treinando sozinho, depois desse período, comecei a colar nas batalhas do ABC Paulista, a Batalha da Matrix, Batalha da Galeria, Batalha da Viela, e nessas batalhas consegui fazer o meu nome ganhando uma aqui e uma ali. Do meio de 2014 para o final de 2015, consegui ser um dos três maiores vencedores da Batalha da Matrix e conquistar um lugar no Duelo Nacional de Mc’s.”

conta Jafari

Se você é fã de batalhas de rima, certamente lembra das grandes batalhas protagonizadas pelo mc, com trocadilhos e um estilo agressivo que, certamente, era algo muito além dos freestyles feitos na época, que talvez deixasse o público confuso, precisando ouvir bem para entender uma mente rápida que serviu de inspiração para muitos mc’s que vieram na geração seguinte, como é o caso do Kant, o maior campeão da Batalha da Aldeia, uma das principais do país.

Com apenas 24 anos, Jafari já foi campeão do interestadual e presentante de São Paulo no Duelo Nacional de Mc’s, além de possuir inúmeras vitórias em batalhas por todo país, que já renderam mais de 6 milhões de visualizações em seus freestyles no youtube. Depois disso, o rapper deixou as batalhas um pouco de lado para investir em sua música, tendo o primeiro clipe gravado pela Aldeia Records, a faixa “Surak“, que trouxe todas as punchs das batalhas para o som, isso sem contar os versos que ajudaram na carreira de outros mc’s.

Agora, com um projeto concreto, Jafari apresenta seu primeiro EP “Maconha e Type Beats”, que nasceu depois de um tempo dedicado exclusivamente para isso, como conta o artista:

“Nesse bagulho de querer melhorar minha música nasceu o EP. Passei várias madrugadas durante dois meses no estúdio, procurando beat e tentando escrever minhas melhores rimas, de uma maneira que todo mundo entenda. Fiz umas oito faixas nesse período, aí escolhi cinco que melhor representassem a cara do projeto, de estar no estúdio de madrugada, procurando beats e ideias, mesmo que pareçam clichês, sendo trabalhadas de outra maneira. O nome do EP liga todas as músicas.”

Maconha e Type Beats” é o início de uma nova etapa na carreira de Jafari, que após diversos sons e feats de sucesso, dá um passo maior nessa caminha de sucesso. O EP conta com 5 faixas, entre elas estão:

Ruthless feat bask
Thomas o trem feat Andrade e Alva
Peita branca feat LK e Apollo

Confira o ep completo: