Instituto lança o disco “Violar”, com Criolo, Karol Conka, BNegão, Sombra, inédita do Sabotage e mais

Após um longo hiato de 13 anos, o Coletivo Instituto volta a ativa com o lançamento do seu segundo álbum oficial, intitulado “Violar“.

Anteriormente formado por Rica Amabis, Daniel Ganjaman e Tejo Damasceno, e hoje sem Ganjaman, o novo projeto do grupo trouxe parte do conceito do disco “Coleção Nacional” (2002) fazendo uma grande reunião de personalidades da música brasileira.

E como sempre o Rap não ficou de fora, Karol Conka fez sua parte na “Mais Carne” ao lado de Tulipa Ruiz, Criolo marca presença com a “Vai Ser Assim“, faixa que já havia sido divulgada anteriormente na trilha do filme Junho e BNegão faz bonito na música “Seco”, ao lado do gringo Lyrics Born.

O carro chefe do álbum, ou ao menos o que mais teve notoriedade na última semana, foi a música “Alto do Zé Pinho”, que traz um verso inédito do Sabotage, mais participações de Sombra, Nação Zumbi e Otto. Se quiser pegar a visão do som, chega aqui. A tracklist completa você encontra mais abaixo.

 O grupo também trouxe inovação para a capa do disco, que chega com uma ilustre video-capa, se liga:

[ytp_video source=”8LBxaE0U-HA”][su_spacer]

A obra é resultado de uma parceria entre o Instituto e o artista Alexandre Orion. O vídeo, do qual foram retirados as imagens que ilustram a versão física do disco em vinil, foi gravado durante uma intervenção de Orion nas ruas da cidade de São Paulo. “É uma ação sobre violação e arte. Estávamos instalando um luminoso neon em com as letras em formato de pichação. O resultado? Uma interferência policial”, explica o artista à RollingStones.

Gostou e quer baixar?! Calma a cabeça, pois dia 23 de outubro a obra estará disponível para download gratuito no site do Instituto e aqui no RND.

Capa do disco "Violar" do Instituto
Capa do disco “Violar” do Instituto

[su_spoiler title=”Lista de músicas” open=”yes” style=”simple”]

  1. Polugravura (com Tejo Damasceno, Pupillo, Dengue e Thiago França)
  2. Vai Ser Assim (com Rica Amabis, Criolo, Junior Areia, Tony Allen, Lanny Gordin, Axé, Gustavo Da Lua, Thiago França e Fred Zero Quatro)
  3. Alto Zé do Pinho (com Sabotage, Nação Zumbi, Otto, Sombra, Rica Amabis e Tejo Damasceno)
  4. Mais Carne (com Tulipa Ruiz, Karol Conká, Rica Amabis, Tejo Damasceno, Alexandre Basa e Mike Relm)
  5. Na Surdina (com Jorge du Peixe, Rica Amabis , Luca Raele, Dengue e Rob Mazurek)
  6. Bossa Chineva (com Rica Amabis, Dengue e M.Takara)
  7. Pacto com o Mato (com Curumin, Rica Amabis, Marcelo Cabral, Gui Amabis e Mike Relm)
  8. Tudo Que Se Move (com Tulipa Ruiz, Rica Amabis, Lúcio Maia , Dengue e Gui Amabis)
  9. Seco (com Tejo Damasceno, Rica Amabis, Lyrics Born, Joyo Velarde, BNegão, Thiago França e Klaus Sena)
  10. Ossário (com Rica Amabis, Marcos Gerez, Tejo Damasceno, Fernando Catatau e Luca Raele)
  11. Isso é Sangue (com Tejo Damasceno, Daniel Ganjaman, Rica Amabis, Kiko Dinucci e Jorge du Peixe)
  12. Irôco (com Rica Amabis, Klaus Sena, Guilherme Held, Kiko Dinucci, Thiago França e Juçara Marçal)
  13. Baía (com Tejo Damasceno, Thiago França, Tony Allen e Maurício Alves)

[/su_spoiler]