Firmando-se como um dos melhores, Fernando Kep lança sua mixtape “Vade Mecum”

Todo MC proeminente necessita definir uma ética de trabalho. Isso dá-se através de sua lírica, estética e musicalidade, combinados com suas ideologias e convicções. Desta maneira sua posição dentro da cena fica bem explícita e sua relação com o mercado mais ainda. A mixtape “Vade Mecum“, é o cartão de visitas de Fernando Kep e todas as seu psique e visão artística. Disponibilizado hoje, o trabalho é o segundo projeto fechado do MC, após seu EP, “Chama Raul“.

Natural de Macaé, no interior do Rio de Janeiro, o rapper consegue equilibrar seu teor introspectivo com uma personalidade agressiva e combativa, passando por influências do grime, drill e trap. Com 9 anos de caminhada no hip-hop, possui experiência de sobra nos elementos da cultura. Começou fazendo graffiti, até que através das rodas de rima locais começou a fazer freestyle, e desde então, batalhou em diversos eventos, até que foi campeão da Batalha do Real de 2012 no Meeting of Favela (MOF). Co-fundador do coletivo “Rap da Ponte“, orquestra a considerada maior roda cultural do estado. Recentemente exibiu suas skills no projeto Brasil Grime Show, onde apresentou-se junto com ANTCONSTANTINO e Erickao.

Assim como suas influências, “Vade Mecum” é um trabalho bem prolífico. Contando com um time pesado de participações formado por Juju Rude, Amanda Amado, JOCA, Faguera, KR , Douglas DMT, Drewan MC e L3lis, traz uma multiplicidade natural e coesas que dita as transições entre vertentes e estilos de rap dentro do trampo. Isto também é fruto do ótimo trabalho dos produtores Druk Beatz, Felipe Inki, DNA, BBKingSL e Difunto Beats, que entregam boas batidas que foram organizadas de forma a não deixar ficar cansativa essa jornada de 16 faixas. Outro aspecto marcante do trampo é sua identidade visual, dirigida e produzida por CMG_NGM_POD, que dividiu a direção com o próprio Kep. Mesmo com essa infinidade de participações e visões diferentes, a mão de Fernando encontra-se em todos os elementos do trabalho, contribuindo para que ele soe de maneira autoral e consiga seguir um conceito pré definido.

Vade Mecum diz mais sobre mim
do que sobre qualquer outra coisa”

A expressão “vade mecum” tem origem no latim e numa tradução livre significa, “vamos juntos“. Era e ainda é utilizada para referir-se a qualquer livro de uso frequente e que auxilie na realização de alguma tarefa. Em alguns ramos do conhecimento, como o Direito e Farmácia, são compêndios dos conceitos básicos que ditam as regras dos conceitos destas áreas de estudo. Unindo estes dois significados, a tape de Fernando Kep apresenta-se como um convite, para adentrar nos pontos de vista nascidos da vivência do MC, mas também como um grande manual de vida pessoal e artística. Mesmo como já mencionado, repleto de influências, tudo aqui é dito na primeira pessoa, numa representação crua e caótica do “eu“.

Esse caos quase anárquico marca presença quando somos pegos de surpresa com a primeira faixa do trabalho. Após a introdução “Marco Zero“, onde ao som de um lo-fi somos apresentados a uma ideia básica do que veremos a seguir, “Real Oficial” fica responsável pelo espanto que te pega pelo pé e te arrasta pro olho do furacão, a mente de Kep. O som que tem influências do grime e do trap, traz a força necessária para retratar o esforço da criatividade artística. Casando a lírica com a musicalidade sísmica, o artista traz a luz a empreitada de criar, mesmo sendo submetido a viver todos os dias. Tornar as vivências em peças de arte nem sempre é uma tarefa simples, não só pelo caráter técnico envolvido, mas sim por simplesmente em vários casos tratar-se de uma condição de trabalho. Entretanto, Kep não se assusta por estar a mercê de um mercado musical predatório, afinal como o mesmo afirma, é profissional e produz mesmo sem inspiração. Esta relação entre trabalho/arte é tratada ao longo do resto da tape, mas nunca de maneira romantizada. Sempre vai ser uma decisão cheia de incertezas, escolher entre criar baseada nas suas perspectivas ou ceder a um capital importante, mas que nem sempre se importa com suas dores.

Apesar da dita apresentação calma, cuidadosa e teoricamente organizada, tal qual uma enciclopédia, “Vade Mecum” é uma representação viva da consciência humana e da mente de um artista. Pelo fato de ser uma mixtape essa tal desorganização surge de uma maneira prática, onde os momentos mais calmos vão de encontro com os mais agitados. A tracklist colabora com a experiência, agindo como um fio condutor de sensações. Todas as faixas foram organizadas como uma montanha russa, como consequência as reações podem ser as mais diversas. Os altos e baixos são bastante abruptos, mas sem deixar de serem coesos e naturais. Os feats colaboraram demais nessa empreitada, Kep na maior parte do tempo age como o cérebro e as participações como os pensamentos que orbitam nessa consciência. Tudo soa muito bem orquestrado apesar da estética que busca representar a confusão e incerteza.

Essa pluralidade é mais do que lírica e conceitual, Fernando compreende a cena que está inserido e a reproduz de maneira singular. O conhecimento da cultura em que se insere, de sua localidade e de suas influências artísticas são bem claras. O Rio de Janeiro está presente sob várias perspectivas nesse trabalho, seja na força jovem do grime que cresce a cada dia no estado, nos boombaps desprentesiosos e calmos numa vibe bem carioca ou apenas nas relações humanas relatadas na mixtape. O retrato perfeito do que perpassa na consciência do MC e é vista por seus olhos, o mais puro dos pontos de vista.

Vade Mecum” como dito é um convite, para uma jornada de identificação ou de contemplação. Além disso também é uma ótima apresentação de um MC que já vem apresentando um trampo sólido há alguns anos. Uma tentativa de alcançar um mercado com uma produção própria, sem amarras, mas que consegue se adequar numa estética atual e não fica para trás em nenhum requisito de um bom trampo. Um compêndio de bastante música, vida, visão e sentimento.

A escolha é do ouvinte e escolha conferir esse trabalho, disponível em todas as plataformas digitais: