Esse é o Baile do Faraó

Nos últimos anos o Rio de Janeiro tem passado por uma série de transformações nos espaços da cultura urbana, geralmente isso está ligado a economia da cidade e a fatores sociais que são reflexos da péssima gestão pública da prefeitura, e, em outros casos a grande dificuldade de acesso e o “fazer acontecer” em locações mais adequadas, o que vem proporcionando aos organizadores de eventos  cada vez mais força no underground.

Dessa vez não foi diferente, com o Baile do Faraó, esse mês, no dia 9 de março, os Dj’s do Bloco 7 M$E, Diazz e sua equipe, realizaram mais uma edição do evento que com certeza ficou marcada pra história e apesar de pequenos problemas externos, tivemos uma grande prova que o que se pensava há 10 anos atrás sobre o Rap só vem ganhando mais força e se tornando cada vez maior.

A abertura da noite além do M$E e do DIazz ficou por conta dos DJs Zanga como convidado, Padrão e DJ Kibe agitando a pista, já as honras da casa ficaram com Lekin que vem com uma série ótima de lançamentos, Davis Lord do Real VD, o Impala Crime e a apresentação do rolé por conta da GABZ.

No palco: Akira (Fa7her) | Fotografia: Lucas Cellier

O ar da zona norte é intenso, o Viaduto de Madureira fica localizado no centro dessa energia e a noite abriu alas pros shows principais do Akira Presidente (Fa7her) e o BK’ em uma apresentação irada, gerada de participações com o time da Pirâmide Perdida e a multidão cantando juntinho as músicas, além das rodas punk onde até segurança entrou sem pensar duas vezes.

Além disso, a noite ficou tão intensa que conforme a fila aumentava, vários espectadores ficaram a espreita dos muros do viaduto, onde alguns até pularam pra curtir os shows do BK’ e do Akira que somaram cerca de 5 mil + pessoas, fato que não se via desde o Racionais na Fundição Progresso que também parou o Rio de Janeiro.

BK’ Interagindo com a galera no meio do show | Fotografia: Lucas Cellier

O registro fotográfico do evento ficou por conta do brabo Lucas Cellier do I Hate Flash.

Reservei um espaço no artigo pra bater um papo rápido com a rapaziada do evento para falar sobre esse registro incrível do baile:

Qual comunicado vocês tem para passar para galera que não respeitou os espaços da entrada e acabou gerando um tormento para vocês?

A galera que não respeitou o próximo foi o maior causador da confusão, acho que se geral se respeitar e ao espaço tudo fica bem no final.

Qual as próximas visões do evento?

A visão pros próximos vai ser de trazer artistas que são de fora do eixo RJ X SP e até umas atrações da gringa que estejam dentro do nosso orçamento.