‘Espelho’: como refletiu o show de Drik Barbosa em Goiânia

Uma das principais vozes femininas no rap nacional, Drik Barbosa trouxe a turnê do seu EP “Espelho” para o festival Bananada 2019, em Goiânia. Este trabalho autoral e lançado com aval de Emicida, traz canções que falam de sentimentos e lutas, abordam temas como preconceitos, racismo, machismo entre outros assuntos que permeiam uma mulher… e uma mulher preta!

“Enquanto ainda existir essas merdas, nós vamos continuar fazendo música sobre isso”, soltou Drik durante o show na capital. As palavras da cantora denunciam uma sociedade estruturalmente preconceituosa e é pela música que a cantora se sente forte o suficiente pra se manifestar, sobretudo contra o atual governo federal. Drik foi praticamente a primeira artista a levantar voz de #EleNao no meio do festival. “O palco é também um lugar de manifesto”, disse.

A cada música, Drika Barbosa convidava o público pra viver uma nova emoção e o público respondeu a esta apresentação marcante com muito carinho. Mas emocionante mesmo é saber que sua atitude artística e seu emponderamento feminino reflete em muitas outras mulheres daqui.

Não é a primeira vez que Drik se apresenta em Goiânia. No Bananada 2018, a cantora se apresentou com o coletivo feminino Rimas & Melodias, grupo que reúne sete mulheres (entre DJs, cantoras e MC’s) e, na noite seguinte, fez uma participação especial no show do Emicida.

De lá pra cá, a cena do rap goiano feminino não foi mais a mesma. Para algumas jovens rappers, que estão iniciando sua carreira artística aqui em Goiânia, Drik se tornou uma grande inspiração, como um “espelho”.

“É muito louco isso. Eu tenho várias referências lindas também, inclusive a Stefanie, eu sempre falo isso que ela foi uma das minhas maiores referências. E é incrível mesmo, não tenho outra palavra quando uma mina, principalmente se for uma mina preta, vem em mim e fala ‘meo, eu tinha minhas coisas escritas e eu não tinha coragem… e eu botei pra fora depois que te ouvi’”, disse.

Rapper goiana Luz Negra junto com uma de suas grandes inspirações Drik Barbosa nos corredores do Festival Bananada 2019 (Foto arquivo pessoal)

Drik me contou que encontrou nos corredores do festival duas mcs maravilhosas daqui, que no decorrer da entrevista descobri que se tratavam de Luz Negra e Mana Iná, mcs goianas, mulheres negras, que se preparam para decolar na carreira artística e que lutam por este espaço feminino de direito dentro do rap. Drik falou da importância e da responsabilidade de refletir esse sonho de “Eu vou ser uma Mc” nelas.

“Essas coisas são muito foda, porque a gente vive em risco o tempo inteiro e estar em cima do palco é estar vulnerável. Você tem que abraçar essa vulnerabilidade e trazer uma força dentro de si. E isso não é fácil. A cabeça fica muito louca e tem que cuidar da saúde mental real. Então eu ver que meu som dá coragem para outras pessoas fazerem seus sons e se expressarem é foda. Isso fortalece o meu trampo e eu fortaleço o delas, porque a gente sabe que as oportunidades ainda são escassas para as mulheres em todos os lugares, e no rap, então bora pra cima!”, desabafou Drik.

Pra cima mesmo é o que pretende Mana Iná, a “Mc maravilhosa” que Drik citou. Iná se prepara pra lançar seu primeiro trabalho, que deve sair em setembro agora. Se é EP, mixtape, álbum, singles eu não sei, mas já é um dos trabalhos musicais mais esperados dentro do rap goiano. “Ano que vem quero estar no palco do Bananada também”, profetizou Iná. E eu torço pra que sim!

Drik Barbosa no Bananada 2019 (Foto: Mari Magalhães)

Voltando ao show da Drik, a rapper também em breve deve lançar novo disco e para o público goiano soltou uma música nova que exalta a mulher e suas conquistas. Destaco também a backvocal de Drik, que fez um belíssimo apoio em palco. Também o momento em que Drik convidou o Dj pra soltar uns versos e o Bananada virou um verdadeiro baile Black.   

“Foi lindo demais o convite do Bananada pra trazer esse show aqui. A gente se divertiu muito e recebeu uma energia maravilhosa. Foi incrível!”, agradeceu a cantora. A militância de Drik Barbosa, aliado a um flow e vocal potente refletiu não só nas minas, mas em toda a cena do rap local. Foi poético, politizado, dançante e uma dose certa de amor… foi tudo aquilo que esperávamos de uma diva!

Confira imagens dos melhores momentos do show “Espelho” de Drik Barbosa no festival Bananada 2019 (Fotos: Mari Magalhães):

Foto: Mari Magalhães
Foto: Mari Magalhães
Foto: Mari Magalhães
Foto: Mari Magalhães
Foto: Mari Magalhães
Foto: Mari Magalhães
Foto: Mari Magalhães
Foto: Mari Magalhães
Foto: Mari Magalhães
Foto: Mari Magalhães
Foto: Mari Magalhães
Foto: Mari Magalhães
Foto: Mari Magalhães
Foto: Mari Magalhães
Foto: Mari Magalhães
Foto: Mari Magalhães
Foto: Mari Magalhães