EP Negraxa e sua importância para o jovem negro periférico

O magnífico trabalho de Nill, é antigo porém longe de ser obsoleto. Comove bastante o jovem periférico por falar de perdas, ganhos e acima de tudo superações e esperança de um dia melhor, sempre levantando questionamentos tipo: por que que os preto não pode? Por quê? Questionamentos que nos fazem pensar no que nos inibe de agir de tal maneira só pelo fato de ser negro. Vou citar aqui nesta matéria, algumas linhas que me tocaram e tocam até hoje o jovem negro e periférico degustador de um bom rap.

Negraxa se concentre no que você vai ser, porque os preto bom já não tão mais de rolê é um dos versos que me vem a mente todos os dias ao acordar, de maneira que me faz focar e acreditar nos meus objetivos, além de pensar no porque pegar busão lotado todo dia e conviver num ambiente paia. E a resposta vem em outro verso de Negraxa – “Sonhei um dia nós tudo junto. Vivendo a vida sem arrumar assunto”. – Qual jovem negro periférico não pensa em conquistar um carro na garagem e uma casa boa pra morar, dá o bom e o melhor pra coroa? – EP Negraxa aborda tudo isso durante as 8 faixas, mostrando sempre que não temos limites para conseguir e conquistar tudo e poder concordar quando disserem que a vida é boa. Ressalto o quão novo era NiLL à época do lançamento do EP, o que torna impressionante a forma como ele passa suas experiências nos versos, de maneira que chega a parecer que há um homem bastante experiente do outro lado contando suas historias.

“Estudo, família, acertei na escolha”. Dito isso o negro jovem periférico desde o nascimento estar rodeado de pensamentos inóspitos que te fazem refletir se vale a pena seguir o caminho dos estudos, se vender droga e ganhar dinheiro fácil é bem melhor pra quem ta rodeado de miséria e vulnerabilidade, mas o EP Negraxa te afirma o quão satisfatório é fazer a escolha certa.

Minha mãe já botava fé antes de ouvir pastel, haxixe e Danone
Se gabava de mim no hospital todas as noites
Falando pras enfermeiras que meu CD ia sair no mês 12
Que eu ia vencer a qualquer momento
E às vezes esse momento seria hoje

A partir de hoje, quando sair de casa, saia com o pensamento de que vai vencer a qualquer momento e por que não hoje né?! EP Negraxa está sempre reforçando a ânsia e o desejo pelo progresso durante as faixas o que afirma ainda mais a auto estima de quem já foi e é tão martirizado pela sociedade racista que até hoje perdura. E por isso “Nunca seja um preto qualquer, nós tudo fudido, é isso que eles quer por isso nunca seja um preto qualquer”.

Pra finalizar com chave de ouro, tive a oportunidade de trocar uma ideia sobre o EP Negraxa com NiLL, acompanhe:

“Por que que os preto não pode? Porta os bagulho do louco, sorriso no rosto, dente de ouro, tudo sujo de molho. Por que que não pode?” Aqui você relaciona comida com ostentação e por que que não pode né? De antemão eu queria saber como é essa sua fixação por comida.

NiLL: Cara eu sempre to comendo algo kkkk eh algo natural na vida então por que não utilizar nas musicas né? Acredito que quebra a parede sabe mostra que também somos pessoas da vida real sabe, e quando você ouve algo sobre alimento na música já sente o sabor da parada junto é engraçado

O EP Negraxa além de mostrar as dificuldades e o corre do preto, não aborda só o racismo, mas principalmente a superação e o incentivo, queria saber se esse realmente foi o intuito e se na época que você escreveu o EP você realmente passou pelas situações que tu descreve nos sons?

NiLL: Sim mano foi proposital, era um momento que eu me descobria como homem negro também sabe, então já quis falar o que eu encontrei no caminho, tudo que eu falo no EP Negraxa é o que passei, isso acontece em todas as minhas obras.

No EP você cantou e mostrou pras pessoas os sons com o objetivo de incentivá-las ou foi mais algo que você fez como se fosse algo que queria te falassem, em forma de conselho

NiLL: Exatamente, eram conselhos sim, algo que eu precisava ouvir de outra pessoa saca. A musica me permite muito disso, me dar conselhos depois de algum tempo voltar a ouvir a letra e pensar em tudo que já passou, isso é loco!

E você tem noção de quanto o EP Negraxa pode influenciar jovens negros periféricos? Ou é surreal imaginar que um trampo antigo pode influenciar jovens até hoje.

NiLL: Sim tenho noção sim, o EP é uma obra atemporal, foi construída nesse intuito, então hoje ainda continua a mesma situação.

E analisando todos os teus trabalhos já lançados qual você acha mais significativo?

NiLL: Regina foi um trabalho importante pra minha carreira, acredito que o mais até agora, foi importante pra cena do rap também que ainda não haviam ouvido tais sonoridades, só que agora falando de LÓGOS eh uma obra importante pra musica nacional em si.

Quantos anos você tinha quando lançou Negraxa? E se há diferença no NiLL de Logos para o NiLL de Negraxa em relação amadurecimento e em forma de pensar?

NiLL: Eu tinha em torno de 22 anos se não me engano, tenho 26 agora, e sim houve uma diferença enorme em termos profissionais e musicais, aprendi muita coisa de la pra cá melhorou muita coisa também.

Pra finalizar: continuem consumindo músicas de artistas negros, a qualidade é excepcional. Ouçam o EP Negraxa e os demais trabalhos para entender tudo que construi aqui junto com o ótimo artista que é o NiLL.