Emicida homenageia Cabo Verde e Angola na música “Mufete”; ouça e baixe

Nesta terça-feira (21), Emicida lança a música “Mufete“, faixa 5 do seu novo álbum, antes conhecido como Ubuntu e agora confirmado com o titulo “Sobre Crianças, Quadris, Pesadelos e Lições de Casa” — afinal, a tradição de longos nomes para discos tem que ser mantida né?!

Mufete” é um prato típico da ilha de Luanda, já a canção é uma homenagem às quebradas de Praia, em Cabo Verde, e Luanda, na Angola, onde Emicida esteve no começo do ano e gravou parte do novo trabalho.

O ritmado e evolvente Rap ainda tem coro de Anna Trêa e Doni Jr, a bateria foi tocada por Joel, a guitarra é de Texas, o baixo de Mayo Bass e o suingue da percussão é de João Morgado.

Sobre Crianças, Quadris, Pesadelos e Lições de Casa” chegará às lojas digitais e plataformas de streaming em agosto junto com um documentário sobre a viagem do rapper à Africa.

[su_button url=”http://104.248.15.2.br/25404/artistas/emicida/emicida-mufete-single/” target=”blank” style=”3d” background=”#cf4141″ size=”5″ wide=”yes” center=”yes” icon=”icon: cloud-download”]Baixe a música “Mufete”[/su_button]

[ytp_video source=”zypOpcW62T8″][su_spacer]

[su_spoiler title=”Letra” style=”simple” icon=”caret”]Refrão:
Rangel. Viana. Golfo. Cazenga. pois Marçal. Sambizanga. Calemba 2.

One luv. amor pu ceis (sério)
Djavan me disse uma vez
Que a terra cantaria ao tocar meus pés
Tanta alegria fez brilhar minha vez
Arte é fazer parte, não ser dono
Nobreza mora em noiz, não num trono
Logo somos reis e rainhas, somos
Mesmo entre leis mesquinhas vamos
Gente, só é feliz…

Quem realmente sabe que a África não é um país
Esquece o que o livro diz, ele mente
Ligue a pele preta a um riso contente
Respeito sua fé, sua cruz
Mas temos duzentos e cinquenta e seis odus
Todos feitos de sombra e luz, bela
Sensíveis como a luz de velas
Tendeu?

Tá na cintura das mina de Cabo Verde
E nos olhares do povo em Luanda
Nem em sonho eu ia saber que
Cada lugar que eu pisasse daria um samba
Numa realidade que mói
Junta com uma saudade que é mansinha,
mas dói
Tanta desigualdade, as favela, os boy
Atrás de um salário, uma pá de super herói

Louco tantos Orfeus trancados
Nos contrato de quem criou o pecado
Dorme igual flor no gramado
E um vira-lata magrinho aliado
Brusco pick o cantar de pneus
Dizem que o diabo veio nos barcos dos
europeus
Desde então o povo esqueceu
Que entre os meus todo mundo era Deus.
[/su_spoiler]