É o Rush na pista, então todo mundo olha

Imponente, versátil e conteudista. Sabe de quem eu tô falando? Do tal do Big Rush. Com uma personalidade moldada através do “Hard Trap”, o rapper vem buscando espaço na cena através de uma sequência de músicas e clipes que estão sendo lançados constantemente em seu canal. Além disso, vem chamando atenção com seus versos satíricos e irônicos.

Mas, e aí? Pra começar, você sabe realmente o que é Hard Trap? Eu sinceramente tinha em mente o que era, mas não sabia como definir. Então, para isso, fui pedir ajuda (já que o Google oferece poucas informações sobre o estilo) e fui falar com o renomado professor Doidão Beats, que inclusive, respondeu não apenas conceituando o que era o Hard Trap, mas também explicou sobre o “No-Melody“, um dos estilos que dominam a carreira de Big Rush.

Pois bem, segundo Doidão Beats :

“Tipo assim, o Hard Trap tem timbres mais viciantes, com melodias menores que grudam na cabeça e ficam indo e voltando toda hora, tem muito disso em Hard Trap. O 808 (o grave) é estouradão, tipo batendo fortão mesmo, aquele bagulho sujo (mas que não necessariamente precisa ter). Na maioria das vezes, são esses dois primeiros pontos que compõem o Hard Trap. É música pra bater cabeça mermo, tipo roda punk, essas coisas.”(sic) – Doidão

“No No-melody meio que ele já fala em si, tá ligado? É um beat sem melodia (como diz o nome), mas que precisa de alguns detalhes pra ser um No-Melody bonito, porque não é só botar um 808, uma caixa e um hi-hat, tem as percussões que deixam ele característico.” – Doidão

Então vamos lá, após esse cursinho, a gente já consegue entender de fato o que o Rush traz nas suas músicas. Mas pra saber um pouco mais sobre ele, tivemos a oportunidade de conversar e pude conhecer melhor sobre o rapper e sua carreira. Segue abaixo:

Diretamente da Zona Norte do Rio de Janeiro, Big Rush, antes conhecido por “YFG Rush”, por ser um dos integrantes da extinta “Fire Gang“, decidiu abandonar a sigla e quis ser o “big” em meio a tantos “lil”.

Entre 2017/2018, o artista deu seus primeiros passos – inicialmente fazendo beats – tendo como principal referência JXNV$, do Bloco 7, que ainda é sua grande inspiração. Rush pensava apenas em fazer beats, entretanto, como ninguém os comprava ou usava, começou a rimar neles. Foi autodidata e aprendeu sobre mixagem e produção musical. A partir disso, é ele quem mixa a maioria de suas faixas.

Sobre seu estilo, o rapper propõe uma mistura de agressividade e humor, trazendo quase sempre um flow mais agressivo, mas com uma metáfora engraçada e espontânea nos seus versos, que resulta num jogo de palavras e punchlines divertidas que não propõem apenas seus ouvintes a refletirem na vida, mas sim se divertirem com suas músicas.

Como também, o que vem ficando aparente é sua inspiração na cultura dos anos 70/80.  Rush acredita que a vibe do Trap Music é parecida com o estilo dessa época. E traz um pouco disso em “Flow Billie Jean” e “Disco Rush”. O trapper vem trabalhando em um ep com o mesmo estilo dessas músicas, o nome será ”Disco Rush” e terá de 4 a 6 faixas.

 “Tipo, nos anos em que as discotecas eram famosas, as pessoas juntavam dinheiro a semana toda pra nos fins de semana elas irem a discoteca e gastar o dinheiro todo lá, fora o uso de drogas excessivo durante as festas. Acho que essa energia de festejar e ser feliz a todo momento é algo que combina muito com a cena do Trap Music.” – Big Rush

Atualmente, com o fim da Fire Gang, ele não participa de nenhum coletivo, e vem produzindo suas músicas e clipes de forma independente, fazendo parcerias com videomakers e beatmakers.

Contudo, mesmo trabalhando com pouca ajuda e quase sempre sozinho, Rush vem se destacando por ser extremamente conteudista, não, não tô exagerando. Logo no início de sua carreira, ele possuía o costume de fazer lançamentos todo sábado, com isso, seu canal no YouTube conta com um total de 45 faixas, sendo todas recentes. O artista perdeu as contas de quantos sons já soltou nas mais diversas plataformas digitais. Hoje em dia, seus lançamentos se mantem frequentes, porém, foram reduzidos.

Além disso, o rapper conseguiu movimentar sua carreira nas redes sociais através de um famoso “Triller” (vídeo gravado através de um app). Apostando em “uma fórmula diferente”, ele usou como inspiração um TikTok que ensinava a fazer movimentos parecidos com desenhos animados e tentou implementar no seu vídeo. Resultado? Hit no Twitter e nos grupos de rap no Facebook.

“Eu via muita gente fazendo Triller, mas assim como na música eu tentei botar algo diferente na fórmula. Eu lembrei que um dia vi um vídeo no Twitter, de uma garota no TikTok, fazendo uns movimentos parecidos com desenho animado e ensinando a fazer. Muita gente achou uma merda mas eu achei muito divertido e tentei fazer nos Triller. Acabou que deu certo, eu acho que fica ”engraçado” e entretém o público. Não é só mais um vídeo de alguém dançando mal com uma arma de mentira.” – Big Rush

Pesquisando sobre o Rush no YouTube você COM CERTEZA vai cair dentro do clipe de “C Walk”, um dos sons com mais repercussão que o rapper já participou. Se você ainda não ouviu, no mínimo caiu num buraco de minhoca e acabou perdendo como o trap no Rio de Janeiro vem evoluindo. Mas relaxa que tá vindo a parte 2 desse som, o clipe foi gravado este mês e breve breve tá na pista.

Mas antes, confere C Walk aí:

Ainda sobre esse som, mesmo que pra muitos ele tenha se destacado na faixa, Rush sofreu algumas críticas na época pelos seus versos. Por quê, né?! Uma hora o hate chega para todos. A partir disso, diferente de alguns artistas, ele decidiu usar isso a seu favor e lançou “Tipo Uh, Pt.2” como um recado bem claro pra galera que não curte seu som e de forma bem irônica e direta, que tu só vai descobrir se der um clique nesse link.

Sobre “Tipo Uh, Pt.2“:

“Quando eu, Raphael e o Gerente (os caras com quem eu normalmente trabalho nos meus clipes) pensamos no clipe, nós queríamos trazer exatamente essa vibe de não ligar para opinião desnecessária alheia, que é algo que jovens artistas têm que lidar bastante. Eu penso sempre em passar energias positivas que inspirem jovens artistas a serem eles mesmos e fazerem muito dinheiro com isso, e acho que “Tipo Uh, Pt.2” é um belo exemplo disso.” – Big Rush

Rush ainda tem um longo caminho para trilhar e já vem dando os primeiros passos para o mainstream, trazendo lançamentos com clipes bem produzidos e refrões fortes. O que embasa isso é seu último lançamento “Killa”. Pode esperar que ainda vai ter muita música solo e com o selo da “BlakkClout” vindo por aí, além do clipe de “UK Drill”, single de seu álbum ADRB.

Contudo, é possível perceber que todas as estratégias e referências que o artista vem trazendo pro trap está aos poucos funcionando e colocando-o em destaque na cena carioca e nacional. E pelo visto, ainda vai colocar todo mundo na pista, seja pra cantar seu “Disco Rush” ou pra pular de cabeça em suas rodinhas.