Conheça o projeto ‘Raízes’ e seu terceiro episódio com os versos da poeta Kimani

Foto: Julio Bueno

Residente do Grajaú (SP), Cinthya da Silva Santos também conhecida como Kimani, escolheu seu vulgo com base em uma palavra africana, cujo significado descreve uma ”Menina dócil”, mas quando se trata em usar seus versos como forma de denúncia, a acidez, revolta e resistência em suas palavras se sobressaem.

Por volta de março de 2017, após despertar o interesse em vídeos dos poetas marginais declamados no “Slam Resistência“, Kimani tornou seu contato com a escrita marginal algo efetivo, e após participar da oficina de escrita para mulheres pretas ministrada pela poeta Ryane Leão, sua forma de se expressar mudou totalmente através da poesia de rua.

Recentemente, conquistou seu maior prêmio como poeta, ganhou o título no SLAM de SP e garantiu seu espaço como uma das finalistas do SLAM BR 2017, o primeiro ”Poetry Slam” (Campeonato de poesia falada) nacional.

Nessa quinta-feira (31), diretamente da Zona Norte de São Paulo, vai ao ar mais um episódio de poesia do projeto “Raízes“, produzido pelo estúdio “Jardim das canções” e idealizado pelo cantor e compositor Dcazz, já ouviram falar? Bom, eu sugiro que guardem esse nome, porque ele fez parte de grandes parcerias dentro do rap nacional, com: Marcello Gugu, Nego E, Drik Barbosa, Kamau, Jé Santigo, A.L.M.A e Lenda ZN.

Além disso, está por trás de belíssimas obras e fez nada menos que a direção vocal do disco do Rimas e Melodias e atualmente está trabalhando no EP da Drik Barbosa. Ao lado de Júlio Bueno, responsável pela fotografia e edição, o projeto já conta com três episódios de poesia e conta com participações anteriores de Timm Arif e Fahim.

”O pessoal vai entender mais ou menos o que é o raízes. Vem da ideia de buscar o princípio, de onde surgiu suas origens… São pessoas vindo para contar suas histórias, ou falar o porque da importância da sua música, da poesia e o que a arte dela causa na vida das outras pessoas” – Dcazz.

Kimani gritou a dureza da realidade em seus versos, ouça:

TRECHO DA POESIA #3 DE KINAMI:

“Tem muito pai de família trampando como gari e se achando o lixo
E muito fiel puxando o tapete do pobre
Com uma mão e na outra beijando o crucifixo.
O único pobre que eles toleravam era Jesus na manjedoura,
Somos o resultado da Inquisição, as Wiccas sem vassoura.”

Assista a todo projeto nessa playlist: