Confira o álbum ‘Quarenta Dias no Deserto’ de Dona Maria MC

Lançado no dia 29 de Novembro de 2018, o primeiro álbum de Dona Maria MC leva esse nome por ter sido produzido num processo de autoconhecimento e cura interna da artista que, assim como Jesus nos seus 40 dias no deserto, precisou passar por provações e abrir mão de prazeres na busca de um bem maior.

Natalya Carvalho Marques (verdadeiro nome da MC) nasceu em lar evangélico, com pais também músicos e sendo isso a base da sua construção musical, cresceu atuando como ministra de louvor e também integrando o coral de quatro vozes na igreja. Tais vivências são parte forte nas referências do álbum e demonstram que apesar de muito crítica para a cultura cristã, a artista não perdeu em nenhum momento a fé.

Foram complexos 6 meses de execução do projeto da obra que recebeu dedicação máxima de toda a produção da GuetoAnonimato Records que é independente e sempre demonstra muito profissionalismo e o constante progresso buscado pelos artistas envolvidos na obra.

Entre as 10 tracks, os beats percorrem todas as vertentes do hip hop que vão de boom bap de mensagem ao trap ostentação, passando pelo R&B e incluindo o reggaeton à sua diversidade musical. Dona Maria MC demonstra pluralidade em suas faixas, garantindo muita lírica e flows diferenciados, vem pronta para peitar a cena machista que ainda é o rap nacional.

A identidade visual foi construída junto de Erick Peres, da Massolo Besouro, tendo como conceito a dicotomia cristã refletida no ser que entre corpo e alma habitam as múltiplas faces da artista.

Dona Maria como boa canceriana, é uma mulher intensa, complexa e profunda e encontrou na música uma maneira de transformar suas insatisfações em identificação com o ouvinte. Sua meta é representar o máximo de mulheres possível nos palcos mundo a fora, sempre contextualizando e criticando o que é ser mulher nessa sociedade machista, buscando sempre respeitar os recortes de raça e classe. Dona Maria MC encontrou na música sua libertação e acredita que pode levar coragem e esperança através dela já que vivemos tempos conturbado e a nossa voz não pode ser silenciada.