Estadão diz que Cone Crew Diretoria fez criticas a Criolo e artistas desmentem

[ads1]

No último domingo (05), aconteceu mais um Lollapalooza, um dos maiores festivais de música do mundo, que acontece anualmente em São Paulo.

O Cone Crew Diretoria foi o único grupo de Rap a se apresentar no local, e que por sua fez foi o centro da polêmica.

O ‘jornalista’ João Paulo Carvalho pelo site do Estadão (um dos mais importantes jornais de Sampa), disse que o grupo carioca teria chamado Criolo de “mera enganação” e o grupo Restart de “bando de otário“.

A brincadeira com o grupo Restart realmente aconteceu, e as pessoas já estão acostumada, mas a crítica ao Criolo, segundo o grupo nunca ocorreu, até Criolo se pronunciou e se posicionou do falo da Cone.

[su_spoiler title=”Cone Crew sobre a polêmica”]

[/su_spoiler]
[su_spoiler title=”Criolo sobre a polêmica”]

[/su_spoiler]

A total falta de informação do repórter ainda piora, na matéria, entre os nomes dos integrantes do grupo, cita o integrante “MPC”, que como a maioria sabe é simplesmente um instrumento musical, que Papatinho usa ao vivo nos shows. “…disse Maomé, um dos integrantes do grupo também formado por Rany Money, Cert, Batoré, Ari, MPC e Papatinho

Além de toda essas controversas, o grupo fez verdadeiras criticas, como a frase “Quem estrupa merece morrer”, colocando a postura contra o estrupo, e também duras criticas ao governador de São Paulo, que por sinal também foi omitido da matéria do Estadão.

O grupo disse que deverá recorrer a meios legais contra os responsáveis da farsa.