Com uma chuva de ideias, conceito e experimentação; Febem lança ‘Running’

Dependendo da realidade em que alguma pessoa está inserida, coisas simples da vida podem ter significados infinitamente diferentes. Isso inclui a linguagem, que vai desde a forma que falamos até o jeito que nos expressamos. O que é normal e corriqueiro para alguém, talvez seja irreal para outros, e isto apresenta-se das mais diversas formas. E sobre isso que “Running“, o novo álbum do Febem trata, a diversidade com que as realidades convivem.

A “correria”, que é o tema principal do álbum como o próprio nome diz, é o que guia o caminho por todo o trabalho. Logo de cara temos aqui o primeiro paralelo apresentando pelo Febem. Tem quem escolhe correr, por lazer, e tem quem corre para poder viver, como é dito na faixa-título do álbum, que conta com a bela voz da Ashira. Isso entra perfeitamente na vida do artista, ou de quem tá todo dia acordando cedo para garantir o sustento.

“Eu peguei um tema que tá na “moda” hoje em dia. Todo mundo tem grupo de corrida, é fitness, e geralmente são as pessoa com condição boa. Então adaptei isso numa giria de quem está à margem disso nas periferias.”

Todo esse simbolismo é prático e não limita-se apenas as letras. O trabalho passa uma verdadeira sensação de “pressa”, graças a sua produção que foi feita a maior parte por Cesrv que ficou responsável por 8 das 10 faixas do álbum. Isso trouxe uma coesão musical muito grande para o trabalho, que apesar de fortes influências do plug, ainda consegue resgatar a sensação de se estar ouvindo clássicos dos anos 90. Acelerar um pouco o BPM fez também com que o conceito da “correria” estivesse presente nos beats, como ocorre na faixa “Bolt“, disponibilizada como single e recebeu um clipe muito bem produzido.

Como quem tá no corre precisa se adaptar para poder sobreviver, com Febem não foi diferente. Antes, sua música que tinha bastante referências ao grime, ganhou uma nova roupagem em “Running”. Faixas como “Tudo ou Nada”, que tem influências do funk e “BB“, que é o grande destaque do álbum e tem participação do niLL, contou com a presença do Vapporwave e sonoridade única do Mc de Jundiaí. Na real, o trampo soa diferente como um todo, para quem já estava acostumado com o que foi apresentado nos EP’s “Elevador” e “Prata“.

Esse novo álbum seria uma forma mais madura com que Febem se apresenta, juntando a experiência de seus dois ótimos lançamentos anteriores. Aqui vemos uma chuva de ideias, conceito e experimentação.