Arte em meio ao caos, sorrisos em meio a luta; LadoA lança o EP ‘Velhos demais pra morrer jovem’

LadoA é um grupo carioca formado por Lucas LT e Hajed, dois jovens MCs de talento impar e pelo DJ Dudu Frois, que fecha a formação. Todos tem uma historia já não tão recente no rap, se aproximando dos 10 anos de pista, porém como grupo, foi fundando em 2017 com o single ‘Flores de Plastico’.

O novo EP, intitulado “Velhos demais pra morrer jovem”, que consiste de 8 faixas, veio ao mundo no dia 10 de Junho, após mais de um ano de trabalho arduo e 2 lindos singles lançados. “Imperio” e “Por Amor” com Fernando Marquex, já tiveram materias de lançamento publicadas aqui no Portal RND.

Esse é o segundo disco do grupo, que em 2019 já havia lançado a mixtape intitulada “De Volta ao Lugar”, entrando em diversas playlists do Spotify. O grupo além dos discos e singles, também chegou a participar do aclamado Brasil Grime Show, em sua sexta temporada, tendo feito um dos epsódios mais consistentes.

Contra Capa do Ep Velhos demais pra morrer jovem

Sobre o EP, o projeto tem inicio com uma instrumental assinada por Lucas LT, o que bastaria para abrir o projeto; porem tem como ponto alto a palavra falada de Olindo Messias, porta voz do canal Literanegra, mesclada a recortes e samples dando um ar caótico e elétrico. Digno para acordar os ouvintes, literalemente e figurativamente.

Na sequencia a primeira porrada: “Produto”, um trap assinado também por Lucas LT, no qual os dois MCs despejam suas rimas e flows. Um som pra cima, digno de festas, no qual os rappers associam o mercado musical ao trafico de drogas, e dentro dessa analogia explanam suas aspirações e estrategias de venda.

Após os singles, que vem em sequencia no disco, se segue uma dupla de faixas que praticamente se completam; ‘Joga esse Rabetão’ e ‘Grave Bate’ já chegam como Hits em potencial, com um ar agitado e eufórico, ambas as tracks passeiam por um mesmo hambiente. Sons de pista, porem com o pontual braggadocio do grupo e algumas criticas ácidas e certeiras.

Seguindo, a penultima faixa segue o mesmo conceito da introdução, mas dessa vez o “interludio” tem como participante o rapper Trevor Gudkid, artistas de Gana que reside em Niteroi, RJ. Nas suas palavras durante o interludio, Trevor louva seu lifestyle preto, o que sintetiza basicamente todo o clima do disco, e ainda serve de abertura para o grã finale do album, a faixa ‘Homem do Ano’.

A ultima faixa, é de longe a mais consistente e classuda; LT e Hajed conseguem extrair seus melhores versos e fazem isso com um flow maestral, tendo como ponto alto os versos intercalados e o refrão que pega insiração no hit ‘Man of the Year’ de Schoolboy Q. A faixa de encerramento é unica que não tem instrumental assinada por LT, ela tem em sua base uma produção de Everbeatz.

A mixagem e a masterização do projeto ficou por conta de Gustavo Caliban, e Lucas LT assinou 7 das 8 faixas do disco. Na parte visual, Ruan Richard foi o responsavel pelas fotos e arte da capa e da contra capa.

O EP “Velhos demais pra morrer jovem” é um projeto de fácil digestão, com uma estetica muito atual, letras que conversam diretamente com a juventude preta e instrumentais que impossibilitam o ouvinte de ir embora de onde as estiver tocando. Ambos os MCs se completam, mesmo tento estilo de escrita diferente, é clara a inspiração que um tem no outro e a maneira que constroem as musicas é de uma cumplicidade perceptível. É sobre quem contrariar as estatísticas, vivendo intensamente a vida e produzindo arte, assim os artistas resumem sua obra. O álbum expressa todo o impacto da passagem do tempo que atravessa o LadoA, refletido nas rimas e batidas. Apesar de todo o caos, nós seguimos versando; completam.

Já disponivel nas principais plataformas digitais, “Velhos demais pra morrer jovem” é o grupo LadoA se reinventando após anos de caminhada, firmando sua estetica e identidade musical no cenário atual. Um projeto conciso e fechado, que expressa que é possivel haver maturidade e revolução dentro de uma juventude rebelde e divertida, e que não apenas de cara fechada e discuros prontos se vive na musica.