Aprendizado em Dovahkiin, de Eloy Polêmico

Ano passado, vulgo Ano Lírico, teve vários lançamentos bons, mas no meio de hype para cá e hype para lá, alguns trabalhos não receberam a devida atenção.

E um desses é o álbum “Dovahkiin“, do Eloy Polêmico.

O nome do álbum, que vem do jogo de RPG Skyrim, significa “Criança Caçadora de Dragões”. No jogo, o Dovahkiin possui o poder de absorver a alma de Dragões para obter seus conhecimentos e poderes.

O que se pensar nesse trabalho do Eloy como um todo, faz perfeito sentido. O rapper é um caçador em meio a problemas atuais, só que sua caça é o aprendizado através de suas experiências.

“Aquele que luta com monstros deve acautelar-se para não tornar-se também um monstro. Quando se olha muito tempo para um abismo, o abismo olha para você.” – Friedrich Nietzsche – Para Além do Bem e do Mal

Essa frase do Filósofo alemão pode ser integrada facilmente no conceito do álbum. A luta do Eloy contra os “Dragões” só tem resultado quando os poderes são absorvidos, ou seja, existe uma linha tênue entre ele se transformar, ou não, em um monstro.

E é encarando abismos que o rapper encontra soluções para seus problemas. Nas músicas ele nunca está a parte das questões e sim, no centro delas, como um agente participativo das ações do meio em que vive. É algo bastante humano, nunca se encontrando em um patamar privilegiado, e sim como alguém disposto a mudar a situação e aprender, como alguém capaz, mas que precisa de ensino, assim como uma criança que pode matar dragões seria.

[bs-quote quote=”“Desperto hoje, dúvidas são tudo o que componho(…)
Esse é meu manifesto, quase tudo contesto
E testo todos ao redor
E alguns decepcionam, meus métodos funcionam”
” style=”style-6″ align=”center” author_name=”Deixai Aqui Toda a Esperança” author_job=”Eloy Polemico”][/bs-quote]

Mas de tanto olhar para o abismo, ele olha de volta para nós. E Eloy assume isso, queremos matar os dragões, mas nada fazemos para completar esse ato.

É um jeito de assumir responsabilidade, tanto para aprender, quanto para transmitir conhecimento. O rapper sabe que o que fala é importante, mas como eu disse antes, ele sempre se coloca em posição de que necessita ser ensinado também.

Mas não há passividade no discurso, e sim uma necessidade grande de agir, aliando o que ele aprendeu, com sua capacidade transformadora.

[bs-quote quote=”“Eu tô vendo: querem me calar
Difícil é pouco, quero ver me alcançar
Avisa o lado de lá que eu tô bem
Com a corda no pescoço
Mas ninguém me detém”
” style=”style-6″ align=”center” author_name=”Ouro Tolo” author_job=”Eloy Polemico”][/bs-quote]

Não é uma tarefa fácil, no jogo de RPG o Dovahkiin faz parte de uma profecia, então de certa forma ele é obrigado a assumir um certo papel na história. E baseado nisso, Eloy nos mostra que as vezes é necessário assumir alguns fardos.

E quando entendemos e aceitamos isso, aprendemos que o o abismo que precisamos encarar é só um professor meio rígido, e podemos passar por ele tranquilamente.

Ele não romantiza o sofrimento, só nos mostra que é necessário passar por ele, e que os piores monstros podem aprender conosco e que a gente sempre tem que estar disposto a absorver o que eles possuem de bom, afinal somos crianças, mas com o poder de matar dragões.

“Permita todas as questões em pauta
Vejo que quem crê com desespero não supera frustração
É lúdica, essa nossa interação
Aprendizado mútuo, não só vender produto”