Em “ROSSI”, Alemar se afirma como um dos melhores nomes do R&B nacional, confira:

Numa união de sensualidade e melodia, o primeiro EP do cantor e rapper natural do interior de São Paulo celebra o desatino e
melancolia do brega. Intitulado de “ROSSI“, o projeto disponibilizado nesta sexta-feira (27), é uma singela, e ao mesmo tempo, grandiosa homenagem a Reginaldo Rossi, ícone da música brasileira, falecido em 2013 vítima de complicações causadas por um câncer de pulmão.

Conhecido como “Rei do Brega“, Rossi ficou famoso por suas canções que descreviam suas desventuras amorosas. Entre as músicas mais conhecidas do cantor estão “Deixa de Banca”, “Tô Doidão”, “A Raposa e as Uvas”, “Ai Amor” e “Garçom”, que o consolidou nacionalmente. Mais do que um artista, Reginaldo Rossi foi um ícone da arte nacional e um dos representantes mais importantes da cultura do Brega.

Fazer um trabalho totalmente inspirado em um nome tão relevante dentro da música brasileira não é uma tarefa fácil. Porém, o EP “ROSSI” é uma homenagem mais do que digna e que faz jus ao nome que carrega. Isso se deve ao fato de que o brega foi fundamental na formação artística e pessoal de Alemar, sendo o trabalho mais do que um compilado de influências, mas sim, uma expressão da personalidade e versatilidade do cantor.

“Eu pensei em dar a cara melancólica do Rossi, a dor que só o amor consegue entregar em pratos frios. Ele era o Rei nisso. Cresci ouvindo brega. Na periferia da cidade de Itapevi só rolava forró, brega e rap”, afirma Alemar.

Ao longo de suas 7 faixas, o EP é marcado pela sonoridade forte do R&B, ao mesmo que a parte lírica mescla influências do Rei do Brega e do rap. Aqui Alemar, assim como Reginaldo Rossi expõe suas perspectivas do amor, o entendendo como uma peça no grande quebra-cabeça da vida. Além de saber expressar as múltiplas formas com que o sentimento aparece no nosso caminho e nossas reações autênticas e verdadeiras.

Esta autenticidade que carrega todo o EP pelos seus 22 minutos, pois é ela que demonstra a minúcia e cuidado que as faixas foram produzidas. Este capricho fica evidenciado de forma prática no mini documentário que acompanhou a concepção do trabalho. As imagens revelam detalhes do processo criativo do projeto, produzido por TH, RIFF e Léo
Machion
. O audiovisual foi dirigido por Adler Alcaraz, com edição de Bruna Barreto.

Definindo a sonoridade de seu trabalho como R&Brega, consegue transmitir a personalidade de Reginaldo Rossi e sua própria personalidade, simultaneamente. Soa como se o cantor e rapper estivesse recebendo o bastão de seu antecessor e ídolo maior na música.

“Gostaria de mos trar como as formas de falar de amor e dor são inúmeras e que o brega mesmo que taxado muitas vezes como exagerado é a forma mais simples de mostrar os efeitos da melancolia. E também que temos muitos estilos no Brasil que podem ser misturados com excelência com outros estilos musicais do mundo”, ressalta.

Em “ROSSI” Alemar se afirma como um dos melhores nomes do R&B nacional, além de um grande valorizador da música popular brasileira. Confira esse que já é um dos melhores lançamentos da cena e está disponível em todas as plataformas digitais: