Matuck, carioca que promete tomar a cena em 2021

Matuck é um rapper de 19 anos e mais uma cria do Rio de Janeiro, e bastou pouquíssimas músicas lançadas para mostrar o seu talento. Destaque para a música “Acaba Amanhã” onde o artista mostra um pouco da sua versatilidade e afinação nesse som gostoso de ouvir.

Em junho desse ano o artista lançou a música “Play Sem Pause“, um trap genérico, mas se você acha que eu estou falando que é genérico pelo fato de ser ruim, você está completamente enganado, é um trap genérico muito bem feito, agradável de ouvir, aquele tipo de música que você ouve muito mais do que só uma vez.

Depois de lançar esses sons, o artista se prepara para o seu novo trabalho, se trata da música “Ontem“, que vai ser lançada nesse domingo dia 15 de novembro, dia de eleição. Esse será seu terceiro single solo e vai vir com um belo videoclipe.

A música aborda uma temática bem love song, falando desde as brigas até os desapegos na hora da separação.

A canção faz ironia com aquele lado que demonstra indiferença e depois volta atrás – ou seja, o charminho básico – e faz refletir ao mostrar que é fácil chutar o balde, mas que nem sempre vale a pena.

A instrumental, captação de áudio, mixagem e masterização foi feita por Cyan, produtor que pertence ao selo e estúdio ICE Rec; o roteiro, filmagem, edição do clipe e demais materiais visuais são de Matheus Rosendo e Thiago Moreira, da produtora Apollo Films. A atriz Ana Carolina Borges contracena com Matuck. A produção contou com pouquíssimas pessoas, porém prezando muito pela qualidade e perfeição.

O artista se diz eclético e isso é perceptível, pois dá para notar que suas músicas não seguem um padrão pré-estabelecido, se precisar fazer love song, ele faz; se precisar fazer trap, ele também faz. Isso se torna um grande diferencial para o artista e faz com que ele desponte para se tornar um dos grandes nomes do rap carioca em 2021.

Ouço hip hop desde que ganhei entendimento do que era a música. Minhas primeiras referências são Marcelo D2, Gabriel o Pensador, Black Alien, Cone Crew, Oriente e Filipe Ret (uma das minhas maiores referências) e muitos rappers americanos dos anos 2000. Hoje, além de Ret, Orochi e Froid, são artistas por quem tenho grande admiração e acompanho a trajetória.

Foi em 2013 que o artista começou a se interessar por batalhas de rap, foi ali que ele que fez suas primeiras composições e foi algo natural até se viciar no freestyle, algo que o artista praticou durante muito tempo.

A voz típica de adolescente em formação impediu que ele cantasse suas composições quando mais novo. Com o tempo Matuck começou a treinar mais flows melódicos e se sentiu mais seguro.

De início mandava suas composições para os amigos, cantando por cima do beat. Entrar de cabeça mesmo foi em junho do ano passado, quando se interessou por gravar. Seu primeiro single Navegar, produzido pelo Samuca Beats, conta com mais de 15 mil acessos no SoundCloud.

Gosto de compor sons com bastante melodia e com uma atmosfera imersiva, mas a área que eu me sinto mais à vontade é o love song. Acho que é onde consigo me expressar com o coração e retratar com mais clareza situações que já vivi e relações que eu tive com uma visão imparcial.

O artista gosta de batidas e flows mais contagiantes, com versos e melodias que ficam grudados na cabeça das pessoas, que gere algum tipo de identificação no ouvindo.

Nas minhas músicas sou bem eu mesmo, entende?, não passo ideias ou imagens de alguém que eu não sou.

Ouça os trabalhos lançado por Matuck até o momento, aqui temos uma playlist com 5 músicas, entre elas seus singles solo e algumas participações que o artista fez.

Comentários
Carregando...