Indo na contramão do pós-modernismo, Kunde lança o som “Manifesto Kundélico”

Inspirado no Manifesto Antropofágico, o som do artista Guarulhense Kunde vai totalmente na direção oposta, anunciando um movimento que visa a comunidade, enquanto o sistema quer nos ver individualmente. A arte que acompanha o som chamada de “Ubuntuabaporu”, representa uma busca a ancestralidade. 

Com a mistura de estilos musicais como o rock estadunidense, a capoeira, a MPB e o rap, Kunde, nos apresenta como organizações por fora do estado preenchem o rombo deixado pelo governo, ao mesmo tempo em que buscam novas políticas socioeconômicas em um país cheio de desigualdades como o Brasil, falando de como partidos políticos manipulam a população para acreditarem que têm privilégios, quando na verdade estão na mesma situação de antes.

O músico aponta também o desmonte dos direitos básicos, a ascensão do fundamentalismo religioso, ódio e preconceito, e diz que a música é sua forma de lembrar as pessoas que é preciso lutar para não perder esses direitos e garantir outros.

Confira o clipe abaixo:

Comentários
Carregando...