No dia do lançamento de documentário onde é uma das estrelas, rapper Cinquenta é acusado de apologia ao crime

Hoje, 22 de Julho, é a estreia do documentário “Trap de Cria“, que estará disponível no canal da Soud.Crime. O documentário aborda a transformação e regionalização do trap no Rio de Janeiro, mostrando como a realidade das comunidades foi incorporada ao estilo musical.

Entretanto, desde a manhã de ontem as mídias de massa vem criminalizando esse movimento musical, gerando ainda mais importância para o lançamento do documentário, que aborda exatamente o contraponto do que vem sendo exposto.

O trapper Cinquenta, ao gravar um clipe na comunidade do Jacarezinho, com atores e amigos, portando armas (airsoft) e carros de luxo teve alguns dos vídeos da gravação viralizados na internet, com isso, sua imagem está sendo veiculada em vários portais de notícias da grande mídia, retratando-o como criminoso, em um momento onde estava apenas expressando sua arte.

Um dos vídeos que viralizou nas redes

A matéria exibida no programa “Balanço Geral Manhã RJ”, através da abordagem utilizada, tenta ligar os artistas presentes na gravação do clipe com o crime e o tráfico, utilizando de frases de efeito completamente reacionárias e até citando sobre uma possível “extrapolação” do limite da arte.

Além de todo material utilizado no videoclipe possuir documentação para fins cinematográficos, a arte não possui definição fixa, tudo é arte e a arte é tudo. Não existe uma régua para medir o que é arte ou não. Da mesma maneira, a liberdade de expressão também não possui limites, não ferindo o direito de alguém, todos são livres pra se expressar.

Quantas novelas da globo já retrataram a favela? Quantos filmes e séries existem no nosso país mostrando a realidade nas comunidades? Quantos deles já viraram notícia em portais tentando criminalizar suas produções? Não sabe?

Bom, o motivo disso não acontecer é porque quem está por trás disso são em sua maioria pessoas brancas de grande poder aquisitivo. Já no caso do trap, em específico a galera da SoudCrime, a maioria dos filmmakers, diretores, fotógrafos, produtores e trappers são pretos e periféricos.

Já entendeu, né? No caso de produções independentes é apologia ao crime, nas milionárias é arte. Isso porque eu nem citei a quantidade de artistas brancos dentro do rap que fazem a mesma coisa e nunca foram noticiados.

Uma pessoa que entende bem o que é ser atacado pela mídia é o rapper Borges. O artista que já foi exposto através de uma matéria em um site de notícias que citava uma “ligação” infundada entre ele e facções criminosas, se pronunciou sobre a situação que Cinquenta está passando.

Pronunciamento do rapper Borges

Outro ponto abordado pelas matérias é o fato de crianças estarem presentes no momento da gravação, visualizando tudo que estava acontecendo. O que a mídia esquece é que essas mesmas crianças estão crescendo vendo armas de verdade em uma realidade ainda mais cruel do que a representada em um simples videoclipe. Os menores só são apontados como vítimas quando é conveniente.

Os artistas Cinquenta e Mc Vitinho declararam em vídeo sobre essa situação, onde inclusive, pediram que fossem construídos centros culturais e esportivos no Jacaré para melhorar a expectativa da construção de um futuro melhor para as crianças que moram na comunidade. Do contrário, o que prevalece nas comunidades são exemplos de traficantes.

Os músicos, indo ao oposto do que aparenta, trazem uma boa influência para as crianças da comunidade, pois servem como exemplo de pessoas que foram nascidas e criadas naquele meio e conseguiram ganhar dinheiro e vencer na vida sem ser através do crime, mas sim pela música, pela arte.

Se tudo for comprovado pela polícia, os envolvidos serão indiciados por crimes como: Apologia ao crime, corrupção de menores e violação das normas sanitárias da COVID-19, já que ocorreram aglomerações na gravação, além de outros crimes que serão apurados no decorrer das investigações.

Cinquenta
Foto: Mariana Negreiros (Portal RND)

Para ajudar, a produção do artista pediu que o público compartilhe as declarações de Cinquenta nas redes sociais. É possível encontrá-las no Twitter e no Instagram. Esse é um momento de união pra todo mundo que vive, ama e admira a cultura do rap. Se calar agora é concordar com a censura.

Documentário “Trap de Cria” mantêm sua estreia hoje

Mesmo com as polêmicas envolvendo um dos principais participantes do documentário, a estreia acontecerá hoje. Entretanto, serão realizadas algumas alterações com o fim de não prejudicar ainda mais a situação que Cinquenta vem enfrentando.

Tweet de Diego Esteves, diretor do documentário.

Desde o surgimento do trap no Brasil vemos inúmeros artistas cantando sobre uma realidade da qual não pertencem. Através da inspiração em artistas gringos, é possível reparar que os elementos utilizados não fazem parte da cultura nacional. Mas tudo mudou quando artistas decidiram mostrar o que vivem de verdade, imprimindo suas vivências e estéticas dentro do estilo musical, criando o “Real Trap”.

Gxlden, Menó Tody, Cinquenta, Lis Mc e Dababi são os personagens que participam do documentário e contam um pouco da sua trajetória de vida e como ela mudou depois que começaram a fazer música.

Nos últimos anos houve um afastamento do rap nas favelas. Através do “trap de cria”, é possível enxergar esse retorno. Usando de gírias, vivências e estilo, os artistas trazem à tona sua realidade, acarretando na total identificação de seus ouvintes e atingindo o público que o gênero sempre buscou alcançar.

Os depoimentos dos artistas ao longo do curta são emocionantes e trazem um impacto muito forte sobre a realidade de quem vive em certas áreas do Rio de Janeiro.

Em um momento onde existe censura e uma “delimitação do que é arte”, cabe a todos nós podermos oferecer todo o apoio e divulgação para esses artistas independentes que tentam todos os dias mudar sua realidade e a de suas famílias.

O documentário chega no momento certo, contrapondo e mostrando a verdade que não chega na televisão, mas que está presente na realidade de muitos.

Cinquenta está sendo perseguido por fazer sua arte. Divulgue suas declarações e principalmente, divulguem o documentário!

O Portal RND vem fazendo a cobertura completa do documentário desde o início, pois entendemos a enorme importância desse tipo de conteúdo estar presente dentro do rap nacional.

Assistam o documentário “Trap de Cria”

Comentários
Carregando...