Um papo sobre direção de videoclipes de rap no Brasil.

A ascensão do audiovisual no cenário do RAP já deixou de ser ascenção faz um bom tempo, e já é uma realidade. Mais que uma realidade, se tornou o mínimo. Tudo virou visual. E o áudio até pode andar sozinho, mas vai muito mais longe quando está acompanhado de um clipe bem produzido.

E por bem produzido não estou falando de dinheiro. Não só, pelo menos. Fazer bem feito depende de um monte de fatores e um monte de pessoas. Pessoas que se encontram todas em um único lugar: a ficha técnica.

Se você quer fazer bem feito, é importante conhecer quem dirigiu, quem escreveu, quem foi o diretor de arte, conhecer o conjunto das obras que você admira.

Nessa matéria, mandei um e-mail com três perguntas para conhecer melhor algumas das muitas pessoas talentosas que trabalham e já trabalharam dirigindo clipes de RAP no nosso país. Espero que gostem das respostas e também das perguntas. Espero também que essa matéria inspire você que sonha em trabalhar com audiovisual. 

Gabi Jacob
Clipes: Emicida ft. Drik Barbosa, Amiri, Rico Dalasam, Muzzike, Raphão AlaafinMandume.
Rodrigo OgiVirou canção
KamauTempo dirá, entre outros.
Além de ser idealizadora do Casa de Clipes, projeto que oferece oficinas de cinema com foco em videoclipe e dirigir a série “Permanência“, onde convida artistas para falarem sobre como é ser artista hoje no Brasil.
Em 2019 ganhou o Prêmio de Melhor Diretora de Videoclipes pelo WME Awards. 

RNDComo você define a importância do audiovisual no cenário musical atual, levando em consideração principalmente o RAP?

Hoje é difícil a gente imaginar a música descolada da imagem do artista. Nós somos muito visuais.
O audiovisual é importante porque aproxima o fã do artista, de certa forma. E não digo só de grandes produções, mas também vídeos de shows, em estúdio, ou o próprio artista se gravando em casa. Os artistas e as gravadoras sabem da importância do audiovisual, uma música lançada com clipe tem muito mais alcance que uma sem clipe. Existem muito mais lançamentos de singles acompanhados de clipe do que álbuns, por exemplo. 
Eu admiro muito o rap nacional, admiro quem luta pra mostrar sua arte, ainda mais em um país como o nosso, com tão pouco incentivo pra arte. Admiro quem resiste fazendo rap, da menor a maior produção, porque a gente sabe que é um dos estilos musicais com menos investimento da indústria.

RNDO que você falaria para músicos que estão começando no RAP e pretendem lançar videoclipes?

A internet é uma ferramenta incrível. Sua música, sua arte, pode chegar em qualquer lugar do mundo em questão de segundos. Porém, é preciso lembrar que qualquer pessoa pode fazer isso também, então como se destacar? A quantidade de informação é tão insana que tem muita gente que não consegue parar 3, 4 minutos pra ver um videoclipe inteiro, por exemplo, ainda mais de um artista iniciando na carreira. Minha dica é: conhecer o mercado, conhecer seu público, mas principalmente ser verdadeiro com a sua arte, não adianta fazer algo só pra agradar ou ter fama se não é algo que você acredita.

RNDO que você falaria para quem hoje sonha em ser um diretor, editor, montador, roteirista e sonha em fazer/viver de videoclipes? 

Fazer, e errar, e fazer de novo (risos). Não adianta, a gente aprende muito na prática. 
Eu era estagiária de uma produtora quando dirigi meu primeiro videoclipe (Por que meu Deus? – Rodrigo Ogi). Eu tinha muito pouco contato com set de gravação, mas eu sabia que queria me envolver mais nisso. Conheci o Ogi numa festa, eu era muito fã do Contrafluxo e perguntei se ele queria fazer um clipe, assim, bem cara de pau mesmo. Aprendi muito naquela gravação, ensinamentos que levo pra vida toda. Nunca paramos de aprender, então manter uma constância é importante. Com o tempo você vai acreditando mais em você, testando novas técnicas, perdendo o medo principalmente. O cinema não é um meio fácil, por isso, fazer cursos, ver referências, trocar ideia com quem faz a mesma coisa que você, é essencial. Hoje existem diversas escolas, cursos, tutoriais e oficinas de cinema bem legais. Fora que a internet facilitou o acesso das pessoas ao nosso trabalho. 

O mercado dos videoclipes vem crescendo. Dos dez vídeos do Youtube mais assistidos no Brasil, seis são musicais.

Mais marcas, mais agências e produtoras têm investido na música. Claro que o investimento poderia ser muito maior, dada a importância da música brasileira, mas é um mercado que tá sempre em transformação e a gente tem que se manter atualizado.

Gabriel Solano
Clipes:
FBC ft. ChrisFrank e Tikão
DjongaJunho de 94
Cacife Clan e MatuêTerapia, entre outros.
Participante assíduo nos projetos da Pineapple e CEO na Tunaoviumob.

RND – Como você define a importância do audiovisual no cenário musical atual, levando em consideração principalmente o RAP?

Da mesma forma que a qualidade musical está melhorando temos que continuar crescendo a qualidade do nosso produto audiovisual, apresentando trabalhos melhores você acaba inspirando mais pessoas a fazerem o que você faz.

RNDO que você falaria para músicos que estão começando no RAP e pretendem lançar videoclipes?

Procurem sempre as melhores referências não só nacionais, mas também as referências dos lugares onde mora, oportunidade gera oportunidade e assim geral pode crescer junto, uma boa equipe sempre traz os melhores resultados!

RNDO que você falaria para quem hoje sonha em ser um diretor, editor, montador, roteirista e sonha em fazer/viver de videoclipes? 

Cara, primeiramente nunca largue seu sonho, vá atrás com unhas e dentes e sempre estude para não ficar pra trás. O caminho não é fácil todo mundo quer fazer o que você faz a diferença vai ser a trajetória que você seguiu pra chegar no seu sonho.

Balcão Filmes
Composta por Mathias Eichbaum, Matheus Nery, Lucas Acher, Rebeca Broncher e Thiago Cunha. A resposta abaixo são dos três primeiros.
Clipes: Yung BudaPiloto
Coruja BC1Boneco Chuck D
Diomedes ChinaskiComunista Rico, entre outros.
Além de realizarem longas, curta-metragens, filmes publicitários e institucionais.

RNDComo você define a importância do audiovisual no cenário musical atual, levando em consideração principalmente o RAP?

O rap tem muitas histórias, tem uma estética muito vasta pra ser explorada e expressada. O audiovisual, e falando aqui não só de videoclipes mas também de filmes, tem esse poder de retratar um momento específico, uma época. As roupas, os artistas se apresentando ao vivo, as histórias – isso tudo é de uma natureza muito efêmera, que o audiovisual tem como possibilidade guardar, salvar isso em uma cena pra sempre. Pra você olhar daqui a 10 anos e entender melhor como que eram as coisas, de onde surgiram certas músicas, relações etc. E, em relação aos videoclipes especificamente, eles aumentam o alcance do artista. Seja um cypher, seja um clipe mais narrativo, eles conseguem atingir um público que não alcançaria se fosse só a música. O artista tem um momento de ampliar sua estética, a música e a letra através do audiovisual, de fortalecer a mensagem ou até passar uma outra mensagem complementar pelo clipe, seja ela estética, social, política ou o que for.

RNDO que você falaria para músicos que estão começando no RAP e pretendem lançar videoclipes? 

Eu acho que um músico que está começando no Rap, assim como em qualquer gênero musical, muitas vezes ainda está encontrando a própria voz. E o videoclipe, além de ser uma ferramenta de divulgação, é também uma expressão artística singular que pode ajudar o artista a apresentar seus sentimentos e a própria estética numa nova dimensão. Acho interessante o videoclipe de Rap não se limitar apenas a um registro filmado do artista cantando, e sim ser visto como um espaço para agregar novas interpretações a ela, contar novas histórias, trazer novas cores, ambientes, texturas que não estavam evidentes ao ouvir apenas a música. É também um espaço simbólico. Digo isso independente do artista ter uma preocupação em retratar a própria realidade, porque a linguagem audiovisual é muito ampla, e você pode filmar e editar a mesma coisa de mil maneiras diferentes. O negócio é encontrar a sua.

Na hora de pensar no clipe, acho legal prestar atenção não só na letra da música mas também no instrumental. Às vezes é o instrumental que vai conduzir o clipe, as vezes é um efeito sonoro que passa quase despercebido que vai dar uma ideia pro clipe. Um exemplo nosso é o clipe de Autumn Ring Mini. Foi o instrumental do yungbuda que ditou todo o ritmo, cor, ambientação e linguagem do clipe. Por isso eu recomendo que o artista que tá começando no Rap trabalhe com diretores, roteiristas, montadores, sejam profissionais ou amadores, que estejam abertos a entender a sensibilidade do seu trabalho e que estejam dispostos a compartilhar a própria visão do projeto. 

Acho que tudo isso dá pra ser feito de uma forma barata, e a melhor estratégia pra fazer algo legal gastando pouco é se preparar com antecedência: montar um plano de filmagem, pensar nos imprevistos e colocar tudo no papel, assim como entender o que é possível e o que não é possível de ser feito com o orçamento e o tempo disponíveis. É sempre importante ter noção da dimensão da sua ideia. Pra isso, o roteiro e o storyboard são ótimas ferramentas. Uma recomendação é o programa de roteiro Celtx, que é gratuito e online, e conta com diferentes formatos. As referências também ajudam a visualizar melhor o projeto, e não precisam necessariamente vir de videoclipes. Por isso eu recomendo que tanto o artista quanto os realizadores do clipe, busquem também no cinema uma fonte de inspiração, a partir de filmes que gostam, estudando cenas, planos e procurando entender o que eles trazem de diferente.

RNDO que você falaria para quem hoje sonha em ser um diretor, editor, montador, roteirista e sonha em fazer/viver de videoclipes? 

Hoje, o mercado de conteúdo, principalmente séries, e o de videoclipes cresce muito. Tanto para quem quer trabalhar em set (diretor, fotógrafo) quanto para quem quer um trabalho de edição ou roteirista, existem várias maneiras de ir atrás desses sonhos. O que é sempre importante é colar em pessoas que trabalham com filmagem – ou com audiovisual em geral – e pedir para elas te chamarem pra trabalhos, para você dar uma mão e ver o set, conhecer outras pessoas… Essa acaba sendo uma das grandes portas de entrada pra muita gente, tanto no mundo dos videoclipes quanto nas outras áreas da produção audiovisual.

Essa área dos videoclipes cresce muito, mas alguns gêneros têm mais investimento e dinheiro do que outros. No Brasil, tem gente ganhando muita grana com videoclipes de sertanejo, funk e até de MPB. Com rap e trap, sinceramente, é mais difícil. Tem possibilidades, claro, mas não se compara a esses outros gêneros. Isso provavelmente acontece porque no Brasil não existe um mercado de rap tão grande e institucionalizado quanto nos Estados Unidos. Tem artistas de rap com muitas visualizações no YouTube e nas redes sociais, mas que ganham muito menos que um artista de sertanejo e mesmo MPB com muito menos visualizações. Isso torna o mercado de videoclipes de rap um pouco complicado como uma fonte de renda regular. Às vezes é possível conseguir trabalhos específicos que ajudam, mas é difícil. Na Balcão Filmes, por exemplo, fazemos videoclipes de rap porque gostamos muito. É claro que às vezes acabam servindo como um bom portfólio, mas o grosso da nossa renda vem de outras fontes (publicidade, institucional etc).

Então, resumindo, há muitas opções de trabalho no audiovisual hoje em dia. O mundo de videoclipes é bem importante, mas ainda é um bem difícil ganhar dinheiro com clipes de rap. Mesmo assim, é uma ótima maneira de pegar experiência, de conhecer gente e entrar no mercado audiovisual.

Maurício Eça
Clipes: Racionais MC’sDiário de um detento
SNJViajando na balada
509-ETriagem e muitos outros.
Um dos diretores com maior quantidade de clipes do país. Além de fazer publicidade, longas como o filme “Apnéia” e documentários como o “Universos paralelo” que acontece no capão redondo.

RND – Como você define a importância do audiovisual no cenário musical atual, levando em consideração principalmente o RAP?

Historicamente o rap no Brasil teve um papel muito interessante quanto a narrativa audiovisual e em dialogar com cinema e documentário. As narrativas dos videoclipes de RAP dos anos 90 e começo de 2000 iam pra um lado mais documental e cru e isso influenciou de alguma forma vários projetos cinematográficos da época, até porque as letras de rap sempre tinham um cunho de descrever visualmente as mensagens do dia a dia da periferia e os rappers sempre foram verdadeiros cronistas e até alter egos de um povo oprimido que queria se expressar e ter mais auto estima. Acredito que na última década com o impulsionamento maior principalmente do funk nas periferias eu diria que os rappers mudaram um pouco a forma de se expressar e isso com certeza acabou também indo pra forma como as imagens traduzem hoje em dia seus sonhos e manifestações.

RNDO que você falaria para músicos que estão começando no RAP e pretendem lançar videoclipes?

Eu falaria que quanto mais vocês expressarem a sua arte que você acredita como verdade em suas letras e em seus vídeos, melhor o público vai poder conhecer seus trabalhos. Hoje em dia muito mais fácil se produzir conteúdos audiovisuais e também mais fácil divulgar eles, a questão de qualidade isso vem com a fluência e com a quantidade de produções.então eu falo: faça sem medo de errar! Experimente e ache a sua linguagem e a sua “cara”! 

RNDO que você falaria para quem hoje sonha em ser um diretor, editor, montador, roteirista e sonha em fazer/viver de videoclipes?

Que comece a se expressar sem medique estude, leia livros, veja fotos, assista filmes, encontre qual a referência que mais te agrade e que dialogue com você seja nas artes plásticas, na literatura, na música, no audiovisual, na tecnologia, o que for…mas não tenha medo de errar, e lute pelo que você acredita e sonha, que você achará o seu lugar ao sol. Pode demorar mais ou menos, mas a sua história pessoal é só sua!

Peveralli
Clipes: Recayd MobPoc poc
Recayd MobFlack Jack,
KrawkTesla, entre outros.
Sua especialidade são clipes, mas já trabalhou com publicidade, desenvolvimento de site, social media etc.

RNDComo você define a importância do audiovisual no cenário musical atual, levando em consideração principalmente o RAP?

Analisando o cenário nacional desde sua criação e o seu significado, vejo que o audiovisual pode não ser só um meio de divulgação, mas sim de mensagem e oportunidade. Pois já sabemos que um trabalho musical sendo lançado com um videoclipe, trará muito mais mídia, mas ela também pode trazer uma crítica ou sentimento que fará seu público refletir e questionar o pensar, que para mim é o que mais importa num trabalho visual. Além de poder trazer oportunidades para novos talentos e evoluções no cenário total, desde seus profissionais até o underground.

RNDO que você falaria para músicos que estão começando no RAP e pretendem lançar videoclipes?

O começo pode parecer frustrante, no sentido de não alcançar um número alto de views ou por não ter a produção cinematográfica de videoclipes, mas nunca se deve desistir. Pois a maiorias dos artistas e produtores não começaram nesse alcance, todos trabalharam e planejaram para chegar onde estão. Também posso deixar como dica, é o meu pensamento sobre os significados de “planejamento” e “foco”. Eu penso que você sempre deve ter o foco de onde pretende chegar e planejar sempre para chegar nele, ou seja, trabalhe e fomente sua carreira, estude sobre os cases de sucesso, sempre tenha a sua estrutura profissional, que assim você terá menos desvios do caminho à conquista.

RNDO que você falaria para quem hoje sonha em ser um diretor, editor, montador, roteirista e sonha em fazer/viver de videoclipes? 

O mercado audiovisual no segmento de videoclipes é muito competitivo e dificultoso, pois analise que hoje existem muitas produtoras e videomakers interessados em trabalhar com os artistas que ele escuta, ou por conta da mídia que muitos artistas trazem. Então para quem está no começo, eu falaria para seguir um planejamento no sentido de linha do tempo, porque no nosso mercado, para ser um cargo maior no set, se deve ter passado por todos os caminhos de assistência do segmento e ter a experiência para liderar sua equipe. Isso é até um dos motivos que muitos produtores não conseguem evoluir em suas produções, ou seja, não conseguem viver do mercado, pois estão cobrando um preço simbólico e não detalhado com a produção.

Este planejamento de linha do tempo eu diria que tem como início a capacitação, que vem todos os estudos e conhecimentos sobre o mercado, com estudos de cases, análises de documentários e afins. Após isso eu vejo como a estratégia para atingir o seu foco, onde você já deve ter escolhido o que exercer de fato e nesse processo você deve saber quais são os caminhos, ou seja, estruture o seu caminho para chegar onde almeja. Depois disso vem a ação, onde é a hora de você começar a aplicar seus estudos e ter a prática, que é tão importante quanto a capacitação, pois sem saber lidar com imprevistos ou produção em si, você provavelmente será “excluído” do mercado.

Mas uma coisa que você sempre deve ter na mente, mesmo com dificuldades ou impasses, é determinação. Pois somente você pode atingir o que sonha e não deve desistir, mesmo que seja frustrante o início e o desenvolvimento seja longo.

Red RoomNaio Resende
HaikaissA Praga
Família MadáCristal
DjongaA Música da Mãe
RecaydBaby Hair, entre diversos outros.
Além disso, os participantes da Red Room Entertainment produzem conteúdos próprios, como singles, inclusive em parceria com outros artistas.

RNDComo você define a importância do audiovisual no cenário musical atual, levando em consideração principalmente o RAP?

O videoclipe é o principal produto de impulsionamento da música, é através do videoclipe que se constrói toda identidade visual do artista, e através dele, ele se comunica e passa a mensagem visualmente para seu público. Sendo o principal produto, o artista tem que estar por dentro de todas as fases do desenvolvimento do clipe, do início a fase final, para que junto com o diretor, possa passar exatamente o que estiver pensando para cada projeto/música que for lançar.

Muitos dos maiores hits do mundo, tiveram o dobro da força, quando saíram seus respectivos videoclipes. A escolha de uma boa produtora e um bom diretor, definirá o resultado final do produto (clipe).

RNDO que você falaria para músicos que estão começando no RAP e pretendem lançar videoclipes?

Video-clipe não é sinônimo de gastar dinheiro, apesar de que um bom clipe se tem um gasto base na maioria das vezes elevado, mas uma idéia simples, porém bem desenvolvida, pode ter o mesmo resultado de um clipe de alto valor, pensem com carinho na idéia do clipe, nos detalhes da execução, pois assim é possível se obter um ótimo resultado da mesma forma, mas, precisam pensar na música com clipe, para que assim, gradativamente, possa construir a sua imagem.

RNDO que você falaria para quem hoje sonha em ser um diretor, editor, montador, roteirista e sonha em fazer/viver de videoclipes?

O primeiro passo é estudar, e estudar não significa ter uma faculdade de cinema, apesar de que uma faculdade de cinema vai te preparar de fato na área, mas cursos, workshops, estudar continuamente a técnica, para poder aplicar na prática. O estudo contínuo sobre o tema, é o que sempre irá deixar você atualizado, pois é uma área que sempre está se renovando, com novos equipamentos, novos programas, novas linguagens, então tenham em mente isso e busquem sempre estar se renovando para dar espaço para o novo entrar na cabeça de vocês a todo momento…e praticar, nada vale o estudo se não tem a prática, a prática é o que definirá o seu trabalho/linguagem. Essa é uma área onde você sempre irá se superar do seu último trabalho, uma jornada que pede paciência e dedicação.

Ronaldo Land
Clipes: BKGigantes
GabzMVB
BKDeus do furdunço, entre outros.
Além disso dirigiu anúncios publicitários, curtas, longas, documentários, tem perfil no canal OFF e muito mais.

RNDComo você define a importância do audiovisual no cenário musical atual, levando em consideração principalmente o RAP?

O Audiovisual tem uma importância muito relevante na formação e divulgação da identidade de diversos movimentos importantes, foi assim com o skate com o punk e não é diferente com o RAP, tanto na foto quanto no vídeo, o livro “Fuck your heros” do Glen e Friedman é a síntese disso que estou falando, hoje a coisa toda está muito mais acessível e é muito mais comum a produção desses conteúdos, a importância tá muito ligada a divulgação da imagem e do próprio trabalho musical do artista, mas acho importante também e acaba sendo muito mais incessante pra mim, quem usa esse espaço para se posicionar sobre os problemas atuais da nossa sociedade, acaba que automaticamente o artista que tem um trabalho com mais crítica social, leva isso naturalmente para dentro de seus trabalhos, para esses artistas acredito que o clipe e as capas de seus álbuns são espaços perfeitos para sintetizar e potencializar suas mensagens.

RNDO que você falaria para músicos que estão começando no RAP e pretendem lançar videoclipes?

Eu falaria pra os músicos, não só para os que estão começando,  para se envolverem em todo o processo de criação do videoclipe, tratar o clipe como extensão de sua música e de suas mensagens e que é possível sim fazer trabalhos com conteúdos interessantes e uma boa estética independente de orçamento, basta alinhar orçamento e recursos disponíveis com a criatividade, É super importante entender o seu orçamento e achar uma ideia viável que caiba dentro dos recursos do clipe e não o contrário, é quase impossível executar um roteiro com um resultado satisfatório em audiovisual quando você não tem o mínimo de recursos para realização daquela ideia.

RNDO que você falaria para quem hoje sonha em ser um diretor, editor, montador, roteirista e sonha em fazer/viver de videoclipes?

Primeiro caminho para quem quer dirigir clipes é gostar muito de música, de cinema e outras expressões da arte. Procurar adquirir o máximo de conhecimento na área, se preocupar principalmente com a linguagem cinematográfica, é através dela que o Diretor consegue expressar sentimentos, passar a mensagem de forma clara e trazer uma identidade para o seu trabalho, Paralelo a isso tudo a prática, hoje temos acesso muito fácil a equipamentos que filmam, pode ser um celular, uma máquina  fotográfica, até mesmo desenhos podem virar uma animação, o mais importante sempre será a ideia é não o equipamento, se junte aos músicos que estão começando e criem, tirem as ideias do papel.

Lucaszetre
Clipes: KyanMenor magrin
KyanNóis é ruim e o cabelo ajuda
KyanTropa da lacoste.
Lucas Simões conhecido como Lucaszetre, acompanha o Kyan desde a música Mandrake e já conseguiu alcançar números impressionantes.

RNDComo você define a importância do audiovisual no cenário musical atual, levando em consideração principalmente o RAP?

Acredito que o audiovisual é a imersão do espectador com o que está sendo mostrado e com isso a responsabilidade e importância de passar uma mensagem, demonstrar algum sentimento, manipular uma imagem para transmitir algo, é o que dá o conceito de toda a obra. E colocando no contexto do Rap que carrega toda uma luta de classe e agora toda a luta das minorias que estão tendo voz, é essencial o audiovisual transmitir algo, por mais que nem seja planejado. Quando gravei o clipe de “Mandrake” do Kyan, a gente reuniu uma galera do nosso bairro, achamos um lugar legal e gravamos, só que implicitamente transmitimos uma mensagem de quebrada, de poder ao “favelado” e viramos um conceito, criamos um novo conceito ali dentro da nossa realidade. Transmitir algo visual é complicado mas essencial para causar impacto com o espectador.

RNDO que você falaria para músicos que estão começando no RAP e pretendem lançar videoclipes?

Fale da sua realidade, mostre a sua realidade. Quando você relata o que você vive é muito mais fácil de você transitar em qualquer lugar sem ter que forçar uma personalidade, o problema de vários artistas em geral é quando ele perde o contato com o que formou ele, com o que moldou todas as coisas que ele acredita. Se você vive em uma quebrada, fala do que você está vendo, fala do que você vive. Se você passa por problemas estruturais da sociedade como racismo, homofobia, machismo, fale sobre isso. Eu tenho certeza que alguém vai se identificar e o valor do artista está nisso, passar a mensagem para quem necessita, e mudar algo nem que seja uma pessoa só.

RNDO que você falaria para quem hoje sonha em ser um diretor, editor, montador, roteirista e sonha em fazer/viver de videoclipes? 

Entenda quem é o seu cliente o que ele quer e quem vai assistir seu vídeo. É um pouco clichê mas estude bastante, antes de mexer com qualquer ferramenta tente dominar ela pelo menos o básico, isso vai fazer toda a diferença. Hoje todo conhecimento está na internet, eu me recuso a entrar em uma faculdade e ficar lá horas e horas aprendendo diversas coisas que não vão me ajudar, fora o modelo de faculdade que pra mim é ultrapassado. O YouTube já é uma faculdade, lá tem todo o conteúdo que você precisa. Então aprenda a falar em Inglês e você está feito, hoje tem diversos cursos grátis, aplicativos, até mesmo o Netflix que faz com que você possa aprender o Inglês pois uma boa/melhor parte de conteúdo sobre audiovisual está em Inglês. E o mais importante acredite no que você está fazendo, tenha o feeling de sentir que algo está ruim e algo está bom, isso requer um tempo, requer estudo, requer muitas horas de vídeo clipes assistidos mas é o essencial para diferença do seu trabalho.

Uriel Calomeni
Clipes: AmiriNoiz no topo
JayA LuuckNemo
Akira Presidente e Baco Exu do BluesLivre e muitos outros.
Além de participar do projeto Poesia Acústica e ser CEO/ fundador da Fresh Mind Co

RNDComo você define a importância do audiovisual no cenário musical atual, levando em consideração principalmente o RAP?

Eu defino hoje como imprescindível, não só no RAP mas como no cenário musical em geral. Com a mudança do mercado musical de venda do produto físico para o produto digital, nosso mercado do audiovisual, fomentou. O youtube ajudou muito sendo uma plataforma de video onde rentabiliza os produtos para o produtor e onde oferece para o consumidor o produto 0800. Acho que só tende a crescer e chuto que ainda haverão mudanças na forma de se trabalhar com o audiovisual e com a musica.

RNDO que você falaria para músicos que estão começando no RAP e pretendem lançar videoclipes?

Para que não se apeguem a simplesmente ter a melhor ideia do mundo com o custo mais alto, com a melhor qualidade. O produto antes de qualquer coisa tem que ser verdadeiro, sei que posso estar me matando falando isso, mas sou muito sincero quanto a questão de qualidade e resultado. Acho que os altos investimentos tem que vir quando se tem altos resultados e repercussão, antes de qualquer coisa, quem está começando tem que se preocupar em achar a sua fan base.

RNDO que você falaria para quem hoje sonha em ser um diretor, editor, montador, roteirista e sonha em fazer/viver de videoclipes? 

Eu nunca pensei em ser um diretor de vídeo, eu já trabalhei panfletando na rua, vendendo perfume, roupa, já cheguei a trabalhar como gerente de assistência técnica em uma empresa de iates, eu sempre aconselho a todos meus amigos e quem me pede conselhos sobre isso, a nunca desistir dos seus sonhos, se algum dia na sua vida, tiver um sonho e esse sonho for realmente ser algo dentro do ramo audiovisual, não escute ninguém ao seu redor que vá contra isso, não foque nos problemas que virão ao longo do seu caminho para chegar onde quer, não se preocupe quanto tempo vá demorar para que aconteça, só vai, estudando sempre, fazendo amigos, honrando sua palavra e sendo transparente com seu trabalho. Nada é fácil mas também não é impossível e se há possibilidade, você consegue.



Assim acabam as respostas.

Se você gostou, comenta aí embaixo uma sugestão de outro grupo de pessoas que participam do RAP mas não tem tanta evidência, que você gostaria de um papo como esse.

Se não gostou também pode comentar, se acha que faltou algum nome pode marcar o @ pra ajudar a divulgar o trabalho da pessoa em questão, sinta-se à vontade.

Comentários
Carregando...