RND Entrevista: Raillow – “Furacão 2020”

Se você é fã de batalha de rima é praticamente impossível nunca se quer ter escutado um som do “Primeiramente“. O grupo que saiu das batalhas é formado por Lucas Gali, Leal, Raillow e NP Vocal conta com uma lírica afiada e músicas cheias de criticas sociais, reflexão, e um estilo undergroud conquistou um grande público pelo Brasil.

Com quase 500 mil inscritos no Youtube e mais de 80 milhões de plays nas músicas, o grupo já lançou 5 álbuns oficiais e alguns singles de sucesso como:  “Vida Bela“, “Pro que Der e Vier” e “Revolução“.

Com o sucesso coletivo, os integrantes resolveram cada um lançar um trabalho solo, o primeiro foi do rapper Leal, que também conversou com nós do RND, confira aqui.

Agora chegou a vez de Raillow, o rapper que nasceu em Santa Catarina mas foi criado na Zona Leste de SP é conhecido pela voz grave, os versos fortes que combinam críticas sociais ao mesmo tempo que consegue falar de amor, marcam uma história de luta e superação.

Em “Furacão 2020” somos apresentados a um Raillow diferente do que o público está acostumado. O rapper fala muito mais de contos de amor, com uma variação de flows e beats, que vão do Reggaton, passam pelo trap e chegam ao Funk, o novo trabalho solo apresenta muito mais curiosidades, como a maioria das faixas serem nomes de mulheres.

Capa do álbum Furacão 2020

A primeira parte do álbum que contará com 12 faixas foi lançada, apresentando as cinco primeiras faixas:
1 – Fran – part. Vitor Vieira e Gotcha
2 – Juliana
3 – Amanda – part. MC Lya e Mr. Dreka
4 – Larissa – part. Lucas Gali
5 – Isabel – part. JayA Luuck

Para entender mais sobre esse novo trabalho, conversamos com Daniel Raillow, confira:

RND: O que inspirou o nome o álbum “Furacão 2020“?

Raillow: “Fiz inspirado no eterno Furacão 2000, um álbum/baile de funk dos anos 2000, quis trazer a mesma vibe só que dos dias modernos, e fazendo uma ligação desse nome com algum conceito atual, no caso os nomes de mulheres.”

RND: Por que lançar em duas partes esse novo trampo?

Raillow: “(risos) O público hoje não digere muitas músicas ao mesmo tempo, fora que temos algumas participações que faço questão de esperar…

RND: Esse álbum nos mostra um Raillow com uma pegada totalmente diferente dos boombap classicos que estamos acostumados no Primeiramente. O que inspirou isso?

Raillow: “Pro público ainda tá difícil digerir que as pessoas vivem de fases, o meu estilo não mudou, eu só falei de outras coisas e de outras formas, o momento que eu vivo, de uns 3 anos pra cá está resumido nessas letras.”

RND: Por que todas as faixas tem nomes de mulheres?

Raillow: “Todo furacão do mundo, os que mais devastaram as cidades, carregam nome de mulheres. E foi esse conceito que quis transparecer, de que cada cidade fosse alguém pelo qual alguma mulher passou.
E cada mulher do álbum fosse um Furacão, viva as mulheres (risos
)”

RND: O que você pode adiantar sobre a parte 2 do novo trabalho?

Raillow: “A parte 2, pra mim, vai ser histórica, pra fechar o álbum de vez, e com participações que eu gosto muito.
Podemos dizer que teremos mais funks pesados, 150bpm e tal… mais que na primeira parte, e participações renomadas e muito aguardadas pelos meus fans, que serão: Riff, Clau Riffel, Froid, Rany Money, Young Ganni, Patrício Sid e Choice.”

“Furacão 2020” do Raillow está disponível nas principais plataformas digitais, vale a pena conferir!

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.