“SUPPER NAITS” é o fim da trilogia de Expedidor, confira:

Na última edição do Oscar, que aconteceu no início do mês de fevereiro, o grande vencedor da noite foi o longa sul-coreano, “Parasita“. O filme dirigido por Bong Joon-ho, protagonizou uma grande surpresa ao levar a estatueta de “Melhor Filme” para casa.

Além de todo significado étnico/político que este acontecimento possui em suas entrelinhas, ele também é um exemplo de arte produzida com total liberdade, ainda que com influências de nomes memoráveis, consegue manter sua identidade e o caráter fundamental da arte, que é chocar.

Guardadas as devidas proporções, o Expedidor é mais um dos modelos artísticos desprendidos do medo soar encaixado em um modelo, ou que simplesmente valoriza seu contexto e criatividade. Agora formado por uma equipe composta por Lucas Bellator, Renoir Souza e Filipe Ghizi, o grupo lançou no último dia 21/02, o EP “SUPPER NAITS

Concluindo uma trilogia formada por outros dois trabalhos, os EP’s “lunch beats” e “café flops“, o novo trampo é uma consolidação da estética já adotada nestes citados anteriormente. Mesmo com a temática a respeito de comida presente em todos os títulos, o som não é fast food.

Desconstruindo todo conceito da música como ela é produzida atualmente, “SUPPER NAITS” ainda é um produto dos dias de hoje, onde a liberdade que flui dele é fruto da possibilidade de conseguir existir produções independentes de qualidade.

Condensando diversas influências, que vão de Tame Impala até Madvillain, “SUPPER NAITS” é experimental no sentido mais cru da palavra. É uma experiência que é própria para cada ouvinte, então cabe a você conferir as cinco faixas que compõe esse excelente trabalho:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.