Mac Miller, Circles e A Metarmofose de Franz Krafka

Faz pouco mais de um ano que infelizmente Mac Miller faleceu e como prometido pela familia do artista, através de sua rede social, o álbum póstumo Circles foi lançado hoje (17/01). O disco foi produzido e idealizado para suceder “Swimming“, albúm do rapper lançado um mês antes de seu descanso – agosto de 2018.

Circles é um álbum muito mais introspectivo, no qual o artista aborda os seus problemas com depressão, ansiedade, álcool e drogas. Só quem passou ou passa por isso sabe quão dificil é a situação. O álbum póstumo, no meu conhecimento empírico, mostra e analisa o mundo às vezes com uma lupa, às vezes como um astronauta, e administrar isso, sabendo que não serão terceiros que suprirão a paz que encontramos no interior do nosso ser.

Estar sozinho é um exercício de aceitação. 

Lembra muito o livro de Franz Kafka -escritor de língua alemã, autor de romances e contos, considerado pelos críticos como um dos escritores mais influentes do século XX – “A Metamorfose” que fala sobre um homem que estava cansado de seu trabalho enfadonho, porém era obrigado a trabalhar para pagar a divida da família; e um dia acordou e percebeu que tinha crescido patas e cascas no seu corpo, varias características de inseto e desde essa metamorfose, ele não saiu mais do seu quarto, com vergonha de verem o que ele tinha se tornado, e quando viram, a principio o excluíram de tudo, até que sua família passa a deixar uma porta aberta para que ele possa assistir de longe aos rituais familiares. 

“Quando certa manhã Gregor Samsa acordou de sonhos intranquilos, encontrou-se em sua cama metamorfoseado num inseto monstruoso”

Indiretamente a obra de Franz Kafka, fala de depressão, ansiedade e insônia, fala de quando se perde a vontade de sair de casa, fala daquele cansaço constante que aparece quando menos esperamos, é quase impossível ler o livro e não relacionar com algumas doenças e problemas que nos invalidam para o trabalho. No passar do tempo, o autor fala varias vezes sobre a maçã apodrecendo em suas costas, o que é retratado com um sentido simbólico como o ódio de sua família por ele. Depois de certo período, a maçã causa a morte de Gregor. Logo depois de sua irmã acabar de limpar o quarto do falecido, a familia sai da casa feliz. Já não pensavam na morte de Gregor e viam uma certa esperança num futuro próximo, em que poderiam comprar uma casa mais confortável.

Kafka mostra três períodos da relação da familia perante Gregor. No primeiro, ela sente medo; no segundo aceita-o, mas esconde-o do mundo; já no terceiro, odeia-o, vê ele como um fardo e deseja livrar-se dele.

A Metamorfose e Circles andam de mãos dadas quando o assunto é subjetividade fazendo o ouvinte ou/e o leitor realizar seu próprio significado e discorrer sobre varias análises desses dois ótimos trabalhos. Mac Miller ta descansando em algum lugar, mas sempre vai ta presente seja no nosso coração, seja no fone de ouvido, seja como for. Esse maluco vai acabar nos impactando de alguma forma. O bagulho é viver a vida como se fosse perde-la a todo momento, sempre andando com pessoas que te fazem sentir iluminado e bem, mesmo que por algumas horas, abraçar quem você ama e dizer o quanto é importante para ela sua companhia. O bagulho é se sentir bem consigo mesmo, e como falei no inicio isso é um exercicio diário e de aceitação.

Até logo,

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.