Real underground, lo-fi, ruído e o que você indentificar no “Vômito” de brescia e gust

Lançado no último dia 11 de dezembro, o EP colaborativo do Mc mineiro, brescia, com o beatmaker de SP, gust, é o exemplo perfeito de arte “do it yourself“. Numa época de constante debate entre o que é mainstream e underground e a tênue linha que separa esses dois extremos do mercado musical, ouvir trabalhos conceitualmente e musicalmente livres é um frescor enorme. Dessa maneira apresenta-se o trabalho dos jovens músicos.

A parceria que concebeu o EP, já existe desde o trabalho anterior de brescia, o álbum “Vertigem“, onde a faixa “esvaziar“, contou com a produção de gust. Tal colaboração, resultou nas 5 faixas que integram “Vômito“, produzidas pela dupla, onde a arte da capa do EP foi feita em conjunto com junk e mafius. Todas os elementos que compõem o trampo servem para uma experiência imersiva e bastante “diferente“.

Flertando com o lo-fi e com uma produção musical extremamente intimista e particular, “Vômito” é uma ótima exposição espontânea do que é a arte no seu estilo mais “cru“. Um vômito em relação ao que o mc sente, pela náusea do convívio, o sufocar dos sentimentos. Algo espontâneo, direto, sem preocupação com jogos de palavras ou flows cristalizados.

Portanto, “Vômito” foge de sua intitulação e entre em seus ouvidos com a mesma naturalidade e estranheza que a verdade causa em nós. Pode ser paradoxal ou contraditório, mas a arte é algo pessoal e a contradição nos acompanha. Confira você mesmo:

Comentários
Carregando...