Baco Exu do Blues lança o primeiro álbum, ouça ‘Esú’

Salvador, a Acrópole negra, onde o carma de todos os Santos se confunde ao encontrar o profano e o sagrado, lugar onde o amor e a desgraça têm um caso. Neste cenário entre o Olimpo e os terreiros, ‘Diogo Moncorvo’ renasce em Baco Exu do Blues, carregando consigo uma escrita pesada e polêmica, mas baseada em suas verdades. Utiliza de absurdos e ironias para expressar dilemas pessoais entre questões sociais, fazendo de sua música um manifesto em prol de minorias.

VEJA TAMBÉM | ‘Oração à Vitória’: entenda o que foi dito na introdução da música de Baco Exu do Blues

Em 2016, a música “Sulicídio”, que teve mais de seis milhões de visualizações no youtube, representou para a cena do Hip-Hop brasileiro a quebra de um padrão arraigado, despontando novas perspectivas para o Rap nacional. Com uma poesia que não se enquadra nos moldes convencionais, Baco lançou “999” e “Tropicália”, abrindo caminho para participações em projetos como “Expurgo” e “Poetas no Topo 2”. Um ano após surgir no cenário nacional, surpreendeu a todos com o lançamento do Interlúdio “En Tu Mira”, faixa que integra o álbum, onde aborda a doença do século em sua forma mais pura e sincera.

Esú” traz a história de um personagem em transição, que passa por diversas provações, da depressão ao gozo. Autoestima, individualidade, onipotência, luxúria, sincretismo e empoderamento negro, são temas recorrentes no álbum. “Metade homem, metade Deus e os dois sentem medo de mim”, cita Baco na faixa que leva o título da obra, mostrando o encontro da fragilidade divina e a força humana.

A produção musical do disco ficou a cargo de “TAS“, no ‘Cremenow Studio’ e a criação dos beats por ‘Nansy Silvvz’, exceto a faixa Intro, que tem a base feita por ‘Scooby Mauricio’ e scratches de ‘KL Jay’ (Racionais MC’s). O resultado dessa junção é apresentado em 10 faixas que proporcionam uma viagem sinestésica, passando pelas ladeiras de Olinda, com o batuque do Maracatu, pelo Carnaval de rua com o choro da guitarra baiana, até as nossas matrizes africanas, com cânticos em Iorubá e batuques dos atabaques do candomblé.

O álbum chegou com uma imagem linda e impactante para cada faixa, com fotos de Mario Cravo Neto, tipografia de Gabriel Sicuro (@sicuro) e  arte de Eric Mello (@base071).

Com o lançamento do álbum nesta manhã de segunda (4), Baco esta figurando entre os assuntos mais falados do Twitter no Brasil.

Em entrevista exclusiva para o RND, o MC falou sobre a continuação do disco e garante que vai dar um tempo para começar a produzir, ele espera que seja bem digerido pelo público: “A segunda parte vai vir muito doida, eu acho. Acho que vai exigir um pouco mais de calma, ta ligado? Mas é até bom essa calma porque dá tempo para as pessoas entenderem de fato a obra completa”.

Lista de músicas

  1. Intro (Part. DJ KL Jay)
  2. Abre Caminhos
  3. Oração à Vitória
  4. En Tu Mira (Interlúdio ESÚ)
  5. Esú
  6. Capitães de Areia
  7. Senhor do Bonfim
  8. A Pele Que Habito
  9. Te Amo Disgraça
  10. Imortais e Fatias
Comentários
Carregando...