O Rap e o Samba!

Hoje é dia do ritmo mais brasileiro dos ritmos, a música que faz o Brasil ser reconhecido mundialmente; o Samba! Dia 2 de dezembro é o dia nacional do samba, uma música do gueto assim como o Rap, som que já inspirou, e ainda inspira, muitos mc’s. E quando acontece a fusão desses dos ritmos, surgem clássicos! Deveria ser mais explorada essa junção de música. Nos EUA sampleam jazz, soul, funk, músicas de lá mesmo. Não entendo o porquê de imitar gringo cantando em batida de trap, se aqui no nosso país tem material musical suficiente para se produzir Rap com a cara do Brasil.

Mas enfim, focando no dia nacional do samba. Vamos fazer uma menção honrosa para alguns dos melhores Raps que misturaram, samplearam um bom samba para fazer um clássico.

Vamos começar por aquele que quiçá é o primeiro Rap com Samba feito no Brasil: “Carrapato” do Potencial 3, a faixa 5 do CD “Você Precisa Esquecer o Passado…” de 1999.

Essa é Pros Amigos“, do segundo trampo solo de De Leve. “Proposital/Do bumbo à caixa ao ximbau/Sem jazz pra não ser igual/Ao underground nacional“.

Criolo, que recentemente apareceu no disco de músicas inéditas de Adoniran Barbosa, em 2011 chegou com “Mariô” .

Rappin Hood é um rapper que gosta bastante dessa mistura, ele tem colaborações com Leci Brandão, Arlindo Cruz, entre outros. Um som dele que se tornou clássico não só no Rap, mas também nas rodas de Samba, foi “À Minha Favela” que tem participação do Exaltasamba.

No melhor estilo Demônios da Garoa, Ogi fez “7 Cordas“. “A melodia vem para coroar/A poesia na mesa de um bar/Pra levantar a poeira/Vai servir também para eternizar/A boemia na mesa de um bar/Na noite de sexta-feira“.

Nem tudo é alegre né mano, no samba não seria diferente. Noel Rosa, Cartola, tinham músicas tristes que de alguma forma curiosa nos davam alegria. Emicida conseguiu fazer o mesmo quando fez “Crisântemo“.

Marginal Menestrel” de MV Bill, tem a participação do pai dele, Mano Juca.

BeatChoro é um grupo especialista nessa fusão de estilos, pena que só lançaram um disco até hoje. O álbum homônimo de 2006, que tem a música “Meu Beat Choro” que é perfeita.

Marcelo D2 tem um álbum onde ele canta músicas de Bezerra da Silva, mas foi em 2003 que ele causou na cena com “A Procura da Batida Perfeita“.

Do samba ao rap, ao reggae/Representa o Brooklyn!” Com certeza Mestre Marçal, Pixinguinha e Dona Ivone Lara ficaram muito orgulhosos do Sabotage quando ele fez “Dama Tereza“. Indiscutivelmente é o melhor Samba com Rap da história da música.

Comentários estão fechados.